Sociedade do cansaço: comecei o ano novo exausta, é normal?

sociedade do cansaço: é normal já começar o ano novo exausta?

O sonho da lista de tarefas do dia concluída pode virar um pesadelo. Já parou para pensar nisso? Ser produtiva o tempo todo tem um custo que muitas vezes pagamos da pior maneira, abrindo mão da nossa saúde física e mental. Pois saiba que você não está sozinha, afinal, vivemos em tempos da sociedade do cansaço!

Isso significa que ser uma profissional exemplar, malhar todos os dias, comer de maneira saudável e estar constantemente informadas se tornaram pré-requisitos para dizer se alguém é vitoriosa ou não.

Quer entender por que ter autoconhecimento na sociedade atual é importante quando naturalizamos a cobrança excessiva e a positividade tóxica? Confira o post que preparamos hoje e aprenda tudinho sobre como a sociedade do cansaço te afeta mais do que você pensa!

O que é sociedade do cansaço?

Sociedade do cansaço é um termo criado pelo filósofo Byung-Chul Han. Nascido na Coréia do Sul, o pensador se tornou um dos grandes contemporâneos a buscar explicações sobre como o comportamento da sociedade atual mudou de acordo com a estrutura capitalista presente em nosso dia a dia.

As reflexões do filósofo e professor na Universidade de Berlim resultaram no livro chamado "Sociedade do cansaço", lançado em 2010. A obra é curtinha, mas dá uma verdadeira aula sobre os caminhos que nossa sociedade vem percorrendo e, convenhamos, estão associados a consequências bem preocupantes!

A sociedade do cansaço resume em um único conceito a naturalização do alto desempenho humano e a necessidade de ser produtiva o tempo todo, pois é assim que alcançamos a felicidade - supostamente! Mas essa linha de raciocínio dos tempos atuais é perigosa, pois quando não conseguimos o resultado esperado, não sabemos lidar de forma saudável com o impacto da frustração.

Na prática, é aquela vozinha que surge na sua cabeça dizendo que você não fez o bastante após um dia inteiro de trabalho! Aí vem uma cascata de sentimentos que pesam a consciência até na hora do sono: tristeza, medo, irritação e por aí vai...

Quando surgiu a sociedade do cansaço?

Segundo nosso amigo filósofo Han, a sociedade do cansaço é uma adaptação motivada pela expansão da globalização. Somos estimuladas o tempo todo, seja em casa, no trabalho e até em espaços públicos por telas que ditam qual é o ideal a ser buscado.

Nos atrevemos a dizer que somos bombardeadas por informações que ditam como nos vestir, comer, trabalhar e que tudo é possível de alcançar na vida, basta se esforçar! Mas a busca desenfreada por atender às expectativas que a sociedade projeta em nós não é um hábito exclusivo dos tempos atuais.

O autor de "Sociedade do Cansaço" diz que esse contexto é histórico. Ou seja, antes da sociedade do cansaço, vivemos na:

  1. Sociedade disciplinar: em que a obediência e a repetição eram a base do nosso comportamento. Lembra do modelo fordista na revolução industrial? Uma esteira de produção com atividades obrigatórias e em sequência pré-determinada, sem espaço para questionar esse tipo de organização ou disciplina.
  2. Sociedade do desempenho: a invenção de novas tecnologias que conectam o mundo revolucionaram o modo de viver, centralizando trabalho, liberdade e felicidade em uma única esfera. Tudo depende do seu desempenho e a meta é estar sempre em movimento, produzindo com qualidade e em grandes quantidades!

A partir da revolução digital na sociedade do desempenho, temos um caminho fértil para que a sociedade do cansaço estabeleça as novas regras. Os relacionamentos familiares, amorosos e profissionais agora exigem o mínimo: a perfeição!

Quais são os efeitos colaterais da sociedade do cansaço?

Se pararmos para pensar com calma, o cenário que descrevemos até agora não é novidade para ninguém. A questão é que raramente saímos do piloto automático. Analisar como reagimos às esperanças que a nossa sociedade (e nós mesmas) depositamos no futuro vai se tornando algo raro de se fazer no dia a dia!

E o resultado disso? Saúde física e mental comprometidas, amiga. Listamos a seguir os principais efeitos colaterais que apresentamos em nosso cotidiano quando estamos em um ritmo louco de produção, um comportamento típico da sociedade do cansaço. Confira:

autocobrança em excesso

Nem todas as horas de sono do mundo são capazes de lidar com o seu cansaço? Bem, esse sintoma é comum de quem não consegue se desconectar do pensamento de que precisa produzir o tempo todo.

Não é a toa que a síndrome de Burnout vem se tornando uma doença cada vez mais comum. O esgotamento físico e mental é uma consequência difícil de evitar quando focamos apenas em ser útil e ignoramos a importância do ócio (o famoso "tempo para fazer nada").

insatisfação constante com o próprio trabalho

A vontade de evoluir se torna um problema de saúde quando só enxergamos somente o que está ruim. Esse olhar exigente é estimulado pela positividade tóxica que permeia os principais ambientes de convivência, como as redes sociais.

O feed com fotos incríveis, pessoas sempre felizes e concretizando seus sonhos todos os dias acaba se apresentando como um gatilho perigoso. A partir do momento que caímos na tentação de comparar a vida do outro com a nossa, criamos uma fantasia que nos leva a desvalorizar tudo o o que conquistamos até agora.

busca por isolamento de modo inconsciente

Podemos concordar que é um conto de fadas dizer que a internet sempre aproxima as pessoas. A constante exposição no meio online, infelizmente, também abriu espaço para que as comparações se convertam em pressão social, estética e gerando a sensação de ser incapaz ou insuficiente!

recorrer a medicamentos para manter o estilo de vida

Eis que surge a solução para lidar com os conflitos emocionais em formato de comprimidos. Se não conseguimos lidar com a depressão e a desmotivação constante, os remédios viram um atalho para não sentir e focar mais uma vez em como ser a própria ícone da produtividade (1)!

Mas, Pantys, então a sociedade do cansaço é uma sociedade doente? Em certos aspectos, sim! A falta de habilidade para lidarmos com a nossa autonomia e expectativa pode gerar um desequilíbrio emocional que é complicado para resolver sozinha. Por isso, lembre-se de que há profissionais especializados que podem te ajudar nessa função, lindeza!

como evitar os malefícios da sociedade do cansaço?

Respira fundo, amiga, pois há luz no fundo desse túnel! Trouxemos algumas orientações básicas que te ajudam a desacelerar e compreender quais efeitos da sociedade do cansaço estão mais presentes na sua vida. Preparada para conhecer nossas dicas? Então, vamos lá!

1) entenda o propósito do que você faz

Crianças são mestres em perguntar "por quê?" várias vezes e de maneira incansável, certo? Podemos aprender algo com elas, afinal, questionar o sentido das coisas nos lembra o motivo de fazermos o que nos propomos a cumprir todos os dias.

2) faça as pazes com suas imperfeições

Aquela máxima de que todo ser humano erra tem justificativa! Ninguém nasce pronto, portanto é natural agirmos, errarmos e precisar refazer algo.

A dica para fazer as pazes com suas imperfeições está ligada ao fato de que é importante ser carinhosa consigo mesma. Entenda quais são suas falhas, busque maneiras de evoluir, mas não torne esse processo mais doloroso do que ele costuma ser, chuchu!

3) dê prioridade aos momentos de autocuidado

Ao ler autocuidado, pense em todos os aspectos da sua saúde - tanto física quanto mental! Isso significa que meditação e malhar na academia são tão importantes quanto relaxar ouvindo música, ver séries e se desconectar do celular. Dedique ao menos 20 minutos do seu dia para fazer algo por você mesma. Os resultados são surpreendentes, pode apostar!

O primeiro passo para colocar essas dicas em ação é o mais complicado. Criar hábitos pode ser desafiador, mas a recompensa vale a pena. O tempo que você se dedicar aos cuidados com o seu corpo e mente vão te ajudar a ser mais gentil consigo mesma e a respeitar seu próprio ritmo de evolução, escapando da loucura que a sociedade moderna nos impõe muitas vezes.

Saiba que o blog da Pantys pode ser o seu lugar de refúgio, lindeza. Por aqui, você encontra vários outros conteúdos incríveis sobre autocuidado e estilo de vida. Se você curtiu o tema de hoje, vamos despertar ainda mais sua curiosidade sobre o assunto e indicar o post "holiday burnout: porque feriados podem ser estressantes?"!

O conteúdo por lá está incrível, acesse e aproveite! <3

  • Referências Bibliográficas:

1. Corbanezi, EltonSociedade do cansaço. Tempo Social [online]. 2018, v. 30, n. 3, pp. 335-342. ISSN 1809-4554.


deixe um comentário

os comentários serão aprovados antes de serem exibidos, ok?


últimos posts

a mudança é coletiva
a mudança é coletiva

o que vem na sua mente quando você pensa em CLIMA? A crise climática tem um impacto global, mas já pode ser sentida a nível local! Precisamos nos engajar na luta socioambiental e fazer algo para mudar essa realidade.

ler mais >
você sabe qual é a importância do empreendedorismo feminino? | pantys
você sabe qual é a importância do empreendedorismo feminino?

Hoje vamos embarcar juntas no mundo dos negócios e mostrar que mesmo diante de tantas injustiças as mulheres continuaram na batalha e garantiram muitas conquistas e direitos. Ficou curiosa? Então, vem com Pantys! <3

ler mais >
como conquistar a independência financeira feminina? | pantys
como conquistar a independência financeira feminina?

Você já sonhou ou sonha em conquistar a sua independência financeira? Isso mexe com crenças e valores sobre dinheiro, trabalho, prosperidade, e por isso é muito importante discuti-lo. Vem com a gente! <3
ler mais >

cool. absorbing. obvious.

estamos adicionando
pantys na sacola...