Dependência emocional: precisamos falar sobre ela!

dependência emocional: entenda o que é e saiba como identificar

duas mulheres encostadas

A dependência emocional pode ser entendida como o apego excessivo e controlador perante outra pessoa. Imagina viver para a sua(seu) companheira(o) sem se importar com suas próprias emoções? É isso o que acontece com quem não consegue viver sem uma segunda pessoa, seja em contexto amoroso, familiar ou de amizade.

E, confie em nós, amiga, só quem passou e passa por isso sabe o quanto esse sentimento de aprisionamento é intenso e doloroso. É um sentimento que nos deixa quebradiça, quase como se estivéssemos sem ar puro para respirar. Já imaginou o quão agonizante é depositar toda a sua felicidade em outra pessoa?

Você se sente dessa forma? Nós te entendemos, de verdade!

E é por isso que viemos até aqui para esclarecer, exemplificar e te ajudar a lidar com essa borbulha de sentimentos dentro de si que não parece querer desaparecer tão cedo. Juntas vamos entender um pouco mais sobre a dependência emocional para que seja possível criar caminhos em que nos sintamos mais livres.

Continue a leitura conosco, lindeza! Precisamos recuperar nossa própria individualidade para não sufocá-la por inteiro.

o que é dependência emocional?

A dependência emocional é caracterizada por um sofrimento intenso por parte de uma pessoa diante de relacionamentos interpessoais – parentes, cônjuges ou amigos. O mais comum é firmar emoções com intensidade em envolvimentos amorosos, que terminam sendo relações doentias e obsessivas.

O dependente, na maioria das vezes, não consegue perceber que alguns de seus atos são negativos, tanto para o companheiro quanto para si mesmo. E então, ele continua realizando ações sem medir as consequências que serão causadas a partir do excesso de ciúmes ou da inserção de um relacionamento pouco saudável que pode acabar se tornando até mesmo abusivo.

Esse tipo de relação tende a nos afastar das pessoas queridas, uma vez que o parceiro abusivo faz com que nos tornemos reclusas, dependentes dele. Ah, elembre-se sempre do seguinte: o abusador não é somente aquele que realiza tortura física. Os traumas causados por uniões psicologicamente instáveis são tão perigosos quanto.

Esse é um dos casos, mas também existe a possibilidade da pessoa que é dependente ser o centro dos efeitos negativos da relação. Infelizmente, isso acontece porque o indivíduo acaba desejando ser o ponto médio da vida da outra pessoa, tornando-se sufocante pelo fato de depositar nela suas alegrias, frustrações e obsessões.

Ambas as situações são extremamente prejudiciais, concorda? E aqui entre nós, se você se identifica com alguma das duas, é preciso muita força para mudar. Não podemos perder a nossa singularidade ou abrir mão dos nossos desejos pelo outro, nem mesmo impor algo para o companheiro e obrigá-lo a fazer "por nós".

Bem, aos pouquinhos vamos entendendo os percalços dessas relações, tudo bem? Para que você possa dar um pause no que vem de fora e dar play no que vem do seu interior com o objetivo de se conhecer e tirar a limpo tudo aquilo que te incomoda e faz mal.

quais são os fatores que causam a dependência emocional?

Devemos, antes de tudo, entender que o amor envolve uma pessoa com quem escolhemos dividir sonhos, e essa união necessita nos levar para cima, não o contrário.

Alguns fatores como uma infância turbulenta, a falta de afeto durante o crescimento e o suporte falho quando criança podem nos levar a desenvolver uma dependência emocional. Como não tivemos amor o suficiente antes, conforme crescemos queremos abraçar tudo e todos de uma maneira nem um pouco saudável.

É necessário medir nossas ações, sabe? Colocar na balança aquilo que nos faz bem ou não, sem contar que podemos estar ao lado dessas pessoas ou sermos elas. Contudo, temos certeza que você não deseja fazer mal para ninguém que você ama, apenas é difícil controlar.

Mas, amiga, é preciso! E juntinhas vamos conseguir passar por isso. Dia após dia. Passos por passo. <3

quais são os sinais da dependência emocional?

Bem, são vários. Eles podem estar ligados até a outros transtornos, como ansiedade, depressão e alterações de humor constantes. Entretanto, o primeiro passo é perguntar a si mesmo se a sua companhia é suficiente para aproveitar os pequenos detalhezinhos da vida.

Refletiu? Reconhecer é o ponto de partida para quebrar um ciclo vicioso de dependência emocional, viu? Então não tenha medo, estamos aqui e passaremos por isso.

Depois, é necessário prestar atenção em ações que dizem respeito a seus sentimentos. O seu modo de agir em conjunto com o parceiro é uma das principais fontes de análises. É nela que você vai perceber se:

sua felicidade está focada na outra pessoa

Quando você é convidada para sair, seja com amigos ou familiares, é preciso estar na companhia do parceiro? Caso ele não vá, o sentimento é de tédio, insegurança e agitação?

Olha, talvez você tenha que rever em que lugar está sua felicidade. Provavelmente ela vem sendo depositada no companheiro e isso não ajuda a construir um relacionamento saudável. O que acontece é exatamente o oposto!

Comece a sair para passeios com amigos, mas volte toda a sua concentração ao momento. A mudança vai ser perceptível depois de algumas tentativas. A diversão começará a fluir, o riso se fará presente, junto com a sensação de bem-estar e alegria.

É isso que desejamos a você e a todas nós!

há um cuidado excessivo com o(a) companheiro(a)

Sabe aquela famosa "pulguinha atrás da orelha"? Então, ela é a responsável pelo cuidado excessivo com o companheiro, já que temos a necessidade de saber cada um dos seus passos. E não é só pelo fato de sentir ciúmes, mas também pela vontade de se certificar que está tudo bem com a integridade física do parceiro.

Acalme-se! Nem tudo está sob o seu controle e é preciso internalizar essa informação para que você não acabe sofrendo por algo que foge do seu comando.

você reprime suas emoções por medo do que ele(a) pensa

O termo "namorar", por vezes, é entendido no contexto errado. Algumas pessoas pensam que é necessário se colocar à disposição do parceiro, mesmo sem concordar com algo ou desejar o que está sendo imposto. E aí, o resultado não é nada agradável.

O indivíduo tenta reprimir suas emoções para que o outro se sinta satisfeito. Porém, em um namoro o que vale são as emoções dos envolvidos, e não a repressão delas. Conseguiu notar a diferença?

sua autoestima fica prejudicada

Quando somos dependentes emocionalmente, a nossa autoestima fica cheia de pequeninas brechas que nos levam a pensar que não somos suficientes. Assim, é quase impossível identificar pontos positivos em nossa aparência, ações e percepções.

O nosso bem-estar começa a ser um fator proveniente do outro, isto é, somente nos momentos em que o parceiro nos elogia ou reafirma algo que até mesmo já sabíamos, nos sentimos confiante.

Por isso, diga a si mesmo o quão linda, importante e suficiente você é!

afinal, como lidar com a dependência emocional?

Depois de tanta informação, você deve estar se perguntando qual é o caminho para conseguir lidar com a dependência emocional, certo? Devemos dizer que a busca incessante pela aceitação deve ser podada, já que ninguém será bom o bastante para preencher o vazio que se faz presente em seu peito.

Só você é capaz disso!

Então, pare de tentar agradar todo mundo e se submeter a situações prejudiciais às suas emoções somente porque é um desejo do seu companheiro(a). Pense em você, nos seus objetivos, desejos, sensações, emoções, pensamentos e tudo que envolve os seus sentimentos – eles são exclusivamente seus e totalmente únicos.

Nós nos importamos contigo e queremos que seu interior seja cuidado com muito zelo e amor. Porém, antes é necessário que você possa se ajudar, para assim darmos as mãos fortalecidas.

Sabemos o quão incrível você é e esperamos que esse conteúdo tenha servido de inspiração para a tomada de decisões que, de fato, serão responsáveis por mudar a sua vida. E com o propósito empático, vamos compartilhar esse post para que outras mulheres consigam transformar o modo de ver o mundo!

Por hoje ficamos por aqui. Até a próxima! <3



últimos posts

Mas você sabe mesmo o que é feminilidade? | Pantys | pantys
Mas você sabe mesmo o que é feminilidade? | Pantys

feminilidade. Ser feminina. Ser mulher. Três conceitos que aparentemente são simples, mas que podem definir quem você é, como se apresenta ao mundo e quais planos fazem parte do seu futuro. 
ler mais >
COP26: cinco ativistas pra acompanhar após o evento | pantys
COP26: cinco ativistas pra acompanhar após o evento

ler mais >
dor durante a relação sexual: vamos juntas desmistificar esse assunto? | pantys
dor durante a relação sexual: vamos juntas desmistificar esse assunto?

a famosa "dor no pé da barriga" durante uma relação já foi motivo de muita discussão, principalmente quando envolve a primeira vez da mulher. contudo, essa é uma dor que possui características distintas... vem entender melhor isso, vem! 
ler mais >

cool. absorbing. obvious.

estamos adicionando pantys na sacola...