Comer intuitivo: alimentação saudável sem sofrimento

comer intuitivo: comendo bem e saudável sem sofrer

mao de uma mulher segurando uma uva

Se a palavra "dieta" já te causa um certo desconforto só de ser mencionada, já identificamos o primeiro sinal de como a nossa mente foi treinada para entender a alimentação saudável como algo penoso e afastado de sensações prazerosas. Mas, será que este tipo de reação é natural? Afinal, alimentar-se não é uma condição básica para sobrevivermos?

Pensando nisso, o método do comer intuitivo se apresenta como um caminho inovador para quebrar essas associações negativas que criamos conforme crescemos e construímos nossa relação com a comida. As criadoras dessa abordagem, Evelyn Tribole e Elyse Resch, apontam como o ato de diferenciar a fome física da fome emocional promove um resgate da conexão com o nosso próprio corpo, perdida a mais tempo do que já nos demos conta!

Entenda junto com a gente sobre o conceito de comer intuitivamente e veja se esse estilo de alimentação é a resposta que você está buscando para ter uma relação mais amorosa consigo mesma. Gostou da proposta? Então, continue rolando a página, amore!

O que significa comer intuitivo?

Também chamado de intuitive eating, o comer intuitivo é um conceito criado em 1995 e divulgado mundo afora por meio do livro que as autoras Evelyn Tribole e Elyse Resch lançaram naquele ano, chamado de "Intuitive Eating: A Revolutionary Program That Works". De modo geral, a obra mostra como dietas restritivas não são a única opção para ter uma vida saudável.

Pelo contrário, a rotina alimentar restritiva se baseia em diversas regras que acabam estimulando a criação da imagem de alimentos que devem ser vistos como "vilões" e "mocinhos". E quando nos rendemos ao consumo daquilo que foi proibido, o sentimos a seguir? A bendita culpa, que vem com força total e capaz de superar qualquer tipo de prazer sentido antes.

Comer intuitivo é uma abordagem que rejeita essa prática e coloca a sabedoria interna no posto de comando! Ou seja, quem decide o que comer, quando comer e a quantidade é você mesma. Essa liberdade é fundamentada no autoconhecimento, uma vez que a responsável pela saúde do seu corpo e a primeira a sentir os efeitos da alimentação é você.

Todo o processo da alimentação intuitiva busca como resultado uma relação equilibrada entre alimentação, corpo e emoções. Ao seguir os pilares do método, evita-se vivenciar uma crise ética a cada mordida em um sanduíche ou colheradas de arroz postas no prato do almoço.

quais são os pilares da alimentação intuitiva?

A alimentação intuitiva possui 3 pilares para ajudar no processo de reconhecimento da sensação de fome real e da fome provocada pelo estado emocional. Isso se deve ao fato de que o ato de comer usando a intuição é mais complexo do que apenas dizer que está com fome e comer o que tiver pela frente.

Afinal, escutar a própria intuição é um trabalho difícil quando estamos imersas em uma cultura de beleza ideal, pressão estética e novas dietas sendo lançadas todos os dias, criando uma atmosfera de medo e ansiedade em torno de diversos alimentos. Por isso, é importante lembrar que:

1. comedor intuitivo tem permissão incondicional para comer

Podemos entender o primeiro pilar como a rejeição de regras externas que nos foram impostas por outras pessoas e não fazem sentido para nós. Quem faz as regras agora é você! Estranho? Bem, se considerarmos o contexto em que vivemos, com certeza é!

Por isso que é bem provável que o pensamento "está tudo liberado?" surja em sua mente neste momento. Mas, calma, vamos sanar essa dúvida com a explicação do próximo pilar!

2. comer é atender as demandas fisiológicas, não emocionais

Já concordamos que a alimentação é uma ação indispensável para mantermos as funções básicas do nosso organismo, não é mesmo? Logo, o alerta da fome deve ser encarado como algo natural e ter prioridade em nossa rotina quando não é uma maneira de compensar fortes emoções.

Seguindo essa linha de raciocínio, vale destacar que cada corpo tem as suas particularidades. Um copo de leite, por exemplo, não irá atender a necessidade fisiológica de quem tem intolerância à lactose da mesma maneira que outra pessoa cujo organismo consegue digerir essa substância normalmente. Assim, podemos concluir que qualquer alimento está liberado exceto aqueles que seu organismo não consegue absorver corretamente.

3. aderir aos sinais internos de fome e saciedade

Os sinais de fome e saciedade que seu corpo demonstra serão as principais ferramentas para medir a porção da sua refeição e quantas vezes ela irá se repetir durante o seu dia.

Conforme a alimentação intuitiva se tornar um hábito, você perceberá que haverá dias em que sentirá mais fome e em outro menos. Não se trata mais de privação, e sim de adaptação. Comer intuitivo é sobre isso e está tudo bem! :)

como se alimentar de forma intuitiva?

 

Teoria apresentada, hora de saber como aplicar na prática! O comer intuitivo é uma dieta (essa palavrinha não é mais nossa inimiga, lembra?) elaborada por princípios importantes em uma relação amigável com os alimentos. Ou seja, é hora de fazer as pazes com a comida, amiga! Veja como:

1. fuja da mentalidade da dieta restritiva

Diga adeus a dietas de revistinhas, aplicativos e de posts no Instagram, principalmente aquelas que prometem perder quilos em prazos impossíveis!

O milagre prometido é gatilho para criar comportamentos ruins e que não conseguem ser mantidos a longo prazo, resultando em frustração e sentimento de incompetência. Resumindo: Xô, regras externas! Olá, sinais do seu próprio corpinho!

 

2. enxergue a sua fome como aliada

O estômago roncando não é um momento de vergonha, mas algo natural e que deve ser encarado como um dos alertas de que está na hora de se alimentar. Além disso, você perceberá com o tempo novos sinais de fome que seu corpo emite e que antes você não entendia o significado.

Dentre os possíveis sintomas, a fome pode ser expressa pelo organismo por meio da baixa concentração, dor de cabeça, aumento de saliva na boca e variação de humor.

3. declare fim à guerra contra os alimentos

O conceito de "alimentos proibidos" não se encaixa na rotina de alimentação intuitiva. A tentativa de rotular qual alimento é ruim e qual é bom perde o sentido quando a dieta se orienta pela sua fome física aliada a vontades, prazeres e liberdade.

Parece contraditório, mas essa independência leva a uma preferência por alimentos saudáveis ao invés daqueles mais calóricos. Como consequência, a sua imagem corporal e qualidade de vida melhoram significativamente, já que você corre menos riscos de cair em um ciclo de exageros, como foi comprovado por um estudo científico publicado em 2014 que acompanhou por dois anos um grupo de comedores intuitivos.

4. ignore a patrulha alimentar

Julgamento não tem vez aqui. Portanto, veio um pensamento autodepreciativo sobre a sua própria alimentação? Tente mudar o seu foco. Alguém comentou sobre o seu prato de comida? Ignore o julgamento alheio ou então responda que a sua dieta foi aprovada pela melhor especialista no seu corpo, ou seja, você mesma!

5. redescubra a sua segunda aliada, a saciedade

Passe a enxergar a saciedade como o freio de mão que vai te ajudar a entender quando é hora de encerrar a refeição. O começo pode ser difícil, por isso, passe a comer mais devagar para dar tempo ao seu organismo de processar a quantidade de comida que está entrando e quando a quantidade suficiente foi alcançada.

6. sentir satisfação é fundamental

Comer é uma experiência incrível, fala sério! Experimentar texturas, sabores e cheiros das comidas envolve diversos sentidos do corpo e é a oportunidade perfeita para um momento de prazer que só você mesma pode sentir e entender. Por isso, aproveite ao máximo a hora da refeição, observe como seu corpo reage àquilo que está comendo e sinta a energia sendo reposta!

7. controle suas emoções sem ajuda da comida

Alimentação e emoção podem caminhar lado a lado, mas uma não deve ser totalmente dependente da outra. Quando notamos que a fome é despertada por tédio, ansiedade ou estresse, o cuidado deve ser redobrado para que a alimentação não seja a válvula de escape para lidar com tais emoções!

A busca pela compreensão da origem desses sentimentos e a criação de rotinas mais saudáveis para a mente são atividades que auxiliam no controle emocional. Desse modo, você aprende a não confundir mais a fome com a vontade de comer por compulsão!

8. entenda qual é o seu biotipo e abrace-o

O respeito com o próprio tipo físico vem a partir de uma desconstrução dolorosa na maioria das vezes. É difícil amar suas curvas quando a felicidade é constantemente associada à magreza nas mídias, sendo até uma das causas que levam ao desenvolvimento de distúrbios alimentares e uma péssima relação com os números da balança e fita métrica.

Observe-se com mais atenção no espelho, porém com olhos de quem quer se conhecer melhor. A vontade de mudança corporal pode existir na vida de quem come intuitivamente, é claro, porém o intuito será sempre visando saúde física e mental.

9. faça atividades físicas

Exercício físico fortalece o seu corpo, é uma forma de se proteger contra diversas doenças e proporciona alta concentração de hormônios que nos dão a sensação de bem-estar. Com tantos benefícios assim, é quase automático pensar que a abordagem da alimentação intuitiva apoia a prática de atividade física - mas o foco não é queimar gordura, hein!

10. aprecie a sua saúde

Corpo e mente saudáveis é uma relação positiva que passa longe do terreno da culpa e do julgamento. Comer intuitivamente se constrói com bases seguras de autopercepção, logo, é recomendada para qualquer pessoa que esteja disposta a tentar uma rotina alimentar que una reflexão e a força que o paladar tem em oferecer satisfação ao nosso organismo.

Contudo, não se recomenda o método de comer intuitivamente a pessoas que sofrem com anorexia nervosa ou outros distúrbios alimentares, uma vez que os parâmetros de fome e saciedade estão alterados pela visão distorcida da própria imagem corporal causada por esse tipo de doença.

Nos demais casos, é considerado normal sentir dificuldades no início da dinâmica do comer intuitivo. Ter um profissional da área para te acompanhar e desenvolver estratégias em conjunto se torna um excelente investimento para transformar os hábitos alimentares.

E aí, amiga? Achou interessante o método de comer de forma intuitiva? Aqui na Pantys você encontra mais dicas para ter uma vida mais saudável e equilibrada com o planeta! Se você curtiu este tema, com certeza irá amar o post "Alimentação é transformação"!

Até lá! <3



últimos posts

Mas você sabe mesmo o que é feminilidade? | Pantys | pantys
Mas você sabe mesmo o que é feminilidade? | Pantys

feminilidade. Ser feminina. Ser mulher. Três conceitos que aparentemente são simples, mas que podem definir quem você é, como se apresenta ao mundo e quais planos fazem parte do seu futuro. 
ler mais >
COP26: cinco ativistas pra acompanhar após o evento | pantys
COP26: cinco ativistas pra acompanhar após o evento

ler mais >
dor durante a relação sexual: vamos juntas desmistificar esse assunto? | pantys
dor durante a relação sexual: vamos juntas desmistificar esse assunto?

a famosa "dor no pé da barriga" durante uma relação já foi motivo de muita discussão, principalmente quando envolve a primeira vez da mulher. contudo, essa é uma dor que possui características distintas... vem entender melhor isso, vem! 
ler mais >

cool. absorbing. obvious.

estamos adicionando pantys na sacola...