Frustração? Termine o Ano Com Sentimento de Dever Cumprido!

hora da virada: como lidar com a frustração no final de ano sem nos culpar?

desenho gráfico com olhar sereno e uma maçã sobre a cabeça

O fim de ano é a época perfeita para refletir sobre cada um dos pontos que aconteceram em nossa vida e acabaram por mexer com a nossa estrutura física e emocional. E vamos combinar que é muito mais fácil aceitar as ações que deram certo do que aquelas que não saíram como o imaginado, né?

Conforme a famosa "hora da virada" se aproxima, nossos corações começam a se remoer devido aos planos que fugiram da curva. Mas calma, Pantys! Esse sentimento é mais comum do que você pode imaginar e nos levam a experimentar uma sensação de desânimo e tristeza em conjunto no final do ano.

Essa efervescência de emoções é mais conhecida como frustração e nós precisamos encontrar uma maneira de contornar cada um dos aspectos negativos que a envolve. Dizer para esquecer tudo que passou e focar no futuro é clichê demais, e a Pantys deseja muito além disso!

Por isso estamos aqui para bater um papo sobre o assunto de forma mais profunda e instrutiva! Vamos lá?

o que é frustração?

Sabe quando pensamos em algo no começo do ano e não conseguimos tirar do papel ao longo de todos os 12 meses? O sentimento de melancolia, resultante do momento em que enxergamos somente os planos que não deram certo, é chamado de frustração.

A falha nos traz uma sensação de impotência e pensamentos negativos sobre nós mesmos, como se não tivéssemos capacidade suficiente para alcançar algo almejado. Mas, sabe... Essa circunstância está diretamente ligada com inúmeros fatores externos, como a nossa educação familiar, social e o contexto cultural no qual vivemos.

Desde pequenos somos condicionadas a oferecer o que temos de melhor e, caso não seja o bastante, ficamos desmotivados para dar o passo seguinte. Sem contar na expectativa que criam sobre nós, que é abalada quando o caminho não é realizado de forma retilínea.

Além disso, as nossas estruturas sociais colaboram para a marginalização de quem, por algum motivo, não atingiu um determinado objetivo. Esse problema, incentivado pelo sentido que atribuímos ao sucesso pessoal, muitas vezes nos faz sermos impiedosas com nós mesmos, alimentando o sentimento de frustração, depressão e baixa autoestima.

Tudo isso nos acomete de modo negativo, concorda? Mas olha, esses pensamentos necessitam ser transformados em energia e força de vontade para avançar e fazer acontecer, mesmo com todas as curvas e obstáculos que se formam à nossa frente.

Pessoas frustradas, na maioria das vezes, não conseguem sair do lugar. Pense conosco: você definiu uma determinada meta nas notas de começo do ano, porém chegou ao final dele e não conseguiu cumprir? Logo, o resultado mais comum é a sensação de decepção. Mas então, qual o próximo passo? Colocar novamente a mesma meta?

Neste caso, lindeza, existem duas opções para começar a se movimentar. Primeiro, perceber que o objetivo pode não ter sido alcançado, mas a longa jornada que você fez para consegui-lo te modificou e fez de você uma pessoa um passo à frente para obtê-lo no futuro – afinal de contas, quantas pessoas não erraram até fazer algo inovador?

Se você se sente pronta, vá em frente! Ninguém tem o direito de apontar falhas que ocorreram durante o percurso, e vamos te falar? Elas fazem parte do processo, assim como o sentimento de frustração, que existe para nos deixar preparadas para ir adiante ou nos chacoalhar para fazer mudanças, por vezes necessárias, durante o percurso.

Ou seja? Um passo de cada vez!

frustrações podem prejudicar a saúde?

A frustração é um sentimento natural, contudo ela se torna prejudicial quando consegue abalar nossa autoestima e autoconfiança. O nosso sucesso profissional, pessoal e sentimental parece ser cobrado a todo instante – tanto por nós quanto pela sociedade – e isso nos deixa aprisionadas em um looping infinito.

O "pulo do gato" está em como vamos lidar com o fato de que precisamos sair da estrada reta e fazer uma curva estreita para conseguir chegar ao trajeto final. A frustração – o desânimo – existe, mas não deve ser um fator de bloqueio na hora de girar o volante. Quando isso acontece, aí sim, podemos dizer que esse sentimento se torna um fator prejudicial à saúde.

Você sabia que os tipos de frustrações mudam de pessoa para pessoa e de contexto para contexto? É isso mesmo, há quem se sinta decepcionada por não conseguir atingir uma meta em determinado tempo, já outras não estão satisfeitas por aquilo que as rodeia. Para todas elas há uma razão, confira:

  • Frustração por necessidade não satisfeita;
  • Frustração pela não concretização de um objetivo;
  • Frustração pelo não recebimento de uma gratificação esperada;
  • Frustração pelo término de uma relação amorosa;
  • Frustração por conflito.

quais são os sintomas de uma pessoa frustrada?

A pressão em estar constantemente feliz e bem-sucedido é uma realidade que necessitamos contornar com muita inteligência emocional. Mas daí você pode estar pensando aí dentro da sua cabeça "Ah, falar é fácil!". Tem razão, colocar em prática é um pouco mais complexo do que isso.

Por vezes, apenas não conseguimos ir adiante e acabamos por ficar abalados com a situação. E é aí que começam a aparecer os sinais negativos em nosso dia a dia, físicos e psicológicos. Em nosso corpo é comum aparecer sintomas relacionados a perda de apetite, insônia, cansaço e falta de energia. Já a nível mental, a decepção, tristeza, raiva e desesperança podem ser constantes.

Se notar recorrência desses sintomas, o ideal é procurar ajuda especializada. Psicólogos e psiquiatras são os profissionais mais indicados, já que possuem conhecimento para auxiliar a passar por essas sensações a partir do cuidado com a saúde mental. Mas não esqueça das pessoas ao seu redor, elas são fundamentais para trilhar um caminho mais tranquilo.

E claro, nós estamos aqui, viu? Não vamos para longe enquanto você precisar de algo, nosso ombro amigo é suuuper confortável! <3

quais os tratamentos para reduzir a frustração?

Como dissemos anteriormente, o indicado é procurar um especialista. É ele que vai te ajudar a encontrar as ferramentas necessárias para lidar com a sensação de frustração. Em alguns casos, por exemplo, a medicação é controlada por ser uma realidade, e é aí que você precisa entender que tá tudo bem, você não está louca e há muitas mulheres como você por aí!

Lembre-se: não é sempre que conseguimos alcançar a linha de chegada no momento desejado. Portanto, aceitar a realidade é uma das melhores alternativas, tanto para partir para outra quanto para analisar o que pode ser feito diferente no contexto atual.

Outra forma é observar de perto as suas expectativas. Elas estão altas demais para um objetivo que pode não dar certo? Então está na hora de rever esse fato, certo? Para isso, estabeleça propósitos condizentes, sem criar perspectivas que estão muito longe de serem alcançadas.

Ansiedade e frustração andam de mãos dadas, sabia? Assim, realizar atividades que tiram o estresse e acrescentam prazer a sua vida é uma forma de desestruturar os sentimentos negativos. Por fim, escutar a si mesmo pode ser a maneira mais eficaz de caminhar e enfrentar os desafios.

A terapia ajuda – e muito! – nesse processo. As sessões nos fazem notar ações que nós mesmos realizamos e nos fazem mal. É uma grande oportunidade de desenvolver autoconhecimento e inteligência emocional. Dois pontos imprescindíveis para que a frustração não se torne prejudicial à nossa vida.

como olhar para o ano que passou com um olhar mais acolhedor?

Essa é a pergunta que não quer calar! Aliás, parece ser difícil demais olhar para uma situação que não conseguimos cumprir e dizer "está tudo bem". E é no final do ano que essa famosa frase começa a ganhar mais força, já que os dozes meses anteriores são uma espécie de prova da nossa "falha pessoal".

Calma, respira e não se desespere! Há um mundo de oportunidades esperando por você no novo ano que se inicia e 365 possibilidades de fazer diferente. Aguce seu desejo de mudança e fortaleça o pensamento positivo para conquistar o que você nem imagina.

Nós da Pantys, sabemos que os tropeços fazem parte da vida. O segredo é não deixar a peteca cair, afinal somos mulheres e o futuro é todinho nosso! Se pudéssemos dar um conselho: trace objetivos que estão ao seu alcance e surpreenda-se com as conquistas que vão além deles.

Mais um ano passou, porém agora uma infinidade de chances estão por vir. Reflita sobre isso e despeje expectativas em propósitos que realmente merecem sua atenção e empenho!

Esperamos que o conteúdo tenha sido inspirador, além de ser uma chave para decisões importantes e sentimentos completamente positivos. Caso você queira saber um pouco mais sobre como lidar com as frustrações do final de ano, recomendamos a leitura do post sobre o tão temido Holiday Burnout!

Por hoje ficamos por aqui, amiga. Até o próximo post! <3


deixe um comentário

os comentários serão aprovados antes de serem exibidos, ok?


últimos posts

mulheres na Literatura: vem conhecer com a Pantys! | pantys
mulheres na Literatura: vem conhecer com a Pantys!

Trouxemos para você ótimos exemplos de autoras maravilhosas que conquistaram o mundo! Vem com a gente conhecer um pouquinho mais da participação feminina na literatura. :) Vamos juntas descobrir esses nomes de peso?

ler mais >
a mudança é coletiva | pantys
a mudança é coletiva

o que vem na sua mente quando você pensa em CLIMA? A crise climática tem um impacto global, mas já pode ser sentida a nível local! Precisamos nos engajar na luta socioambiental e fazer algo para mudar essa realidade.

ler mais >
você sabe qual é a importância do empreendedorismo feminino? | pantys
você sabe qual é a importância do empreendedorismo feminino?

Hoje vamos embarcar juntas no mundo dos negócios e mostrar que mesmo diante de tantas injustiças as mulheres continuaram na batalha e garantiram muitas conquistas e direitos. Ficou curiosa? Então, vem com Pantys! <3

ler mais >

cool. absorbing. obvious.

estamos adicionando
pantys na sacola...