celebrar pequenas conquistas é dizer sim

celebrar pequenas conquistas é dizer sim | pantys

Quando uma amiga diz “seu cabelo está lindo”, nós respondemos com “sério?! nossa, tá muito seco”, “tô há vários dias sem lavar”. Já reparou que temos dificuldade em receber elogios? E isso é ainda mais complexo, não acontece apenas quanto ao que “somos”, mas também ao que conquistamos. Nós não nos damos os devidos créditos por tudo de incrível que realizamos. E se a gente começar a valorizar a gente mesma da mesma forma que fazemos com uma amiga? Hoje o que propomos é celebrar as pequenas conquistas que constroem nossa jornada.

Reparamos em tudo que não fizemos, em tudo que fracassamos, em tudo que deu errado, em tudo que não realizamos como queríamos, até mesmo a menor das coisas. Mas onde fica tudo que a gente realizou? Os 365 dias que seguimos em frente? Para tudo é preciso equilíbrio.E a boa notícia é que nossa mente quer isso também. Precisamos nos educar a reconhecer e celebrar nossas micro conquistas.

Muito falamos sobre autocuidado, autoconfiança, mas como começar a exercitar esse amor próprio de maneira prática? Celebrar nossas pequenas conquistas é uma forma tangível e que qualquer mulher pode começar a praticar. Isso porque, ao pausar e celebrar por algo que fizemos e deu certo, ativamos sentimentos bons dentro de nós, de recompensa, e nossa mente registra isso pra sempre, nos ajudando a nos sentir mais capazes diante novos desafios, nos ajudando a ser mulheres mais confiantes e plenas.

 

sobre a pequenez relativa

Pequena conquista é algo que podemos acabar deixando passar como “não é mais que a obrigação” ou “imagina, não é nada, fiz em cinco minutos” ou “foi muito fácil”. Mas já pensou que várias coisas que fazemos “em cinco minutos” são porque investimos uma vida inteira antes disso? E o quanto aprendemos e exercitamos para conseguir fazer as coisas que fazemos hoje? Muitas, com certeza.

Fora isso, há uma observação muito importante: as pequenas coisas são contínuas e frequentes, as grandes, raras e espaçadas. Terminar uma e correr ansiosa pra próxima é perder a chance de registrar esse acontecimento bom em nós, é desvalorizar o caminho cheio de aprendizados e esforço. É preciso (e delicioso!, e indolor!) pausarmos e vivermos esse momento.

Existe a certeza de que essas pequenas conquistas nos levarão a algo grandioso? Não. Mas podemos afirmar que não existe nada grandioso sem elas. E mais ainda: aquele papo da relatividade...o que é grande e pequeno, né? A vida é complexa e linda como nós. E definir o tamanho das coisas depende muito das expectativas e barreiras invisíveis que colocamos para nós mesmas.

Quando começamos a reconhecer e celebrar, ganhamos mais confiança e mais motivação para os próximo passos, pois ficamos conscientes da verdade: que nós somos capazes de tudo que quisermos. E de passo em passo, no nosso próprio ritmo, a gente chega lá. E cá entre nós, estamos chegando bem longe.

Ao valorizarmos esses nossos pequenos progressos, os dias não se tornam “mais um dia”, a gente começa a perceber que cada dia vale a pena, que estamos caminhando e tudo fica mais simples. Afinal, simples não é o contrário de significativo.

Criamos três passos práticos para tornar esse ritual de celebração um hábito em nossas vidas.

 

O primeiro passo é estarmos atentas para perceber essas pequenas conquistas diárias

Pois elas se apresentam e muito. Basta estarmos abertas.

No começo temos que ficar de olho para perceber essas pequenas alegrias que acontecem na nossa rotina, depois vai ficando mais natural reconhecê-las. Quando percebemos, ficamos mais confiantes e cheias de energia para seguir em frente, porque a única certeza que temos é o aqui e o agora.

Se a gente não percebe isso, os dias podem ficar pesados e no fim do dia pensarmos que foi “só mais um dia”, mas não foi, realizamos muitos micro esforços diariamente. Para diminuir a sensação de que o nosso dia é só mais um, podemos ter pequenas atitudes que podem tornar esse dia um dia vivo de verdade, e não precisa ser nada grandioso ou complexo: reservar tempo para um café da manhã mais demorado, acordar mais cedo para chegar no trabalho com a mente mais limpa e preparada para um dia inteiro, combinar um almoço com um amigo, um cinema no fim do expediente, talvez um drink com amigas ou com alguém da família, e até apenas um incenso e um livro em casa no silêncio. Tudo isso é importante.

Uma atitude que pode nos ajudar muito nesse reconhecimento é estabelecermos pequenos objetivos para o nosso dia. Se ao final do hoje cumprirmos apenas um, ele merece ser reconhecido e os outros voltam pra lista do amanhã, mas tendo em mente que estamos mais perto de alcançá-los, pois sabemos o que queremos. Quando a gente não estabelece objetivos, pode ficar tudo meio perdido.

ações-chave para reconhecer: pausa, meditação, reflexão, listas.

 

O segundo passo é celebrar essas pequenas conquistas

Celebrar é um ritual que pode fazer parte da nossa rotina, assim como escovar os dentes, devemos nos proporcionar esse momento de recompensa. Depois de percebermos essa pequena conquista, devemos abrir espaço para a energia positiva que está em nós vibrar.

É muito importante celebrar assim que acontece, sempre que possível. E não estamos falando de recompensas materiais, como se comprar um presente - pode até ser também -, mas algo muito mais simples e representativo que isso. Só de fechar os olhos e mentalizar aquela coisa que conseguimos, nos parabenizando e sorrindo pra nós mesmas, só isso já é capaz de transformar nossa vida.

Do mesmo jeito que a gente agradece os pequenos gestos dos outros pra gente, devemos agradecer a nós mesmas, nos olharmos e dizer “eu sou foda”, “eu consegui”, ou até mesmo “que mulher”, “sou muito talentosa”, “o esforço valeu a pena”. Podemos também levantar, olhar o céu e beber uma água, tomar uma taça de vinho quando pudermos, pensando naquilo que aconteceu e fez bem, agradecendo a nós mesmas por isso. O importante é parar e se parabenizar.

Ao celebrarmos, estamos, de certa forma, dando instruções para a nossa mente, corpo e espírito, pois eles vão saber que aquilo que fizemos provocou uma reação boa em nós, então estarão mais cheios de foco e energia em uma situação semelhante, colaborando pra gente sentir aquilo de novo.

Se não celebramos no momento que acontece, nossa mente fica perdida, pois não sabe o que nos faz bem ou mal, apenas em grandes acontecimentos, que são raros na vida de qualquer pessoa. Então, quanto mais celebramos, mais nosso corpo como um todo nos ajudará a ter mais motivos para comemorarmos, nos levando a uma vida mais equilibrada e mais justa com nós mesmas, pois a gente não deixa nem sequer uma decepçãozinha passar, então porque deixar as alegrias? Vamos nos equilibrar, a gente merece.

Comemorar é um rito de passagem para uma nova fase. Um aprendizado que deu certo. A sabedoria adquirida na trajetória de uma vida toda, para realizar um pequeno triunfo. O maior presente que a vitória nos dá é a confiança.

Vamos tentar nos lembrar de algo que comemoramos, um aniversário, um novo trabalho ou a alegria logo após uma compra de viagem, lembra dessa sensação? Não é muito boa?! Ela fica pra sempre e ajuda a gente a querer conquistar mais, faz nos sentirmos capazes.

ações-chave para celebrar: pausar, fechar os olhos, recompensar, se dar prazer prazer, registrar.

 

o terceiro passo é compartilhar essas pequenas conquistas

Quando a gente compartilha, a gente inspira quem está ao nosso redor. E até no singelo fato de colocar em palavras para alguém essa conquista, nos permite refletir melhor sobre o que está por trás delas e porque aquilo é importante. Além disso, abrimos espaços para que nossas amigas também compartilhem as micro vitórias delas, gerando uma corrente cada vez maior de coisas positivas ao nosso redor.

Podemos até nos retrair na hora de compartilhar, com receio de parecer uma “massagem no ego”, mas isso é apenas justo e só vai fazer bem, pois estamos espalhando algo positivo com pessoas que gostamos e que provavelmente ficarão felizes por nós. É como se, ao compartilhar, expandíssemos essa conquista. E, mais do que isso, nós revivemos novamente a conquista, a eternizando ainda mais em nós.

Podemos esquecer isso de “mau olhado”, energia ruim, não devemos pensar nisso como um impedimento para compartilharmos. O futuro é colaborativo e quanto mais dividirmos, melhor será tudo para todos. Pois somos todas umas coisa só e, no fundo, sabemos exatamente em quem confiar.

 

As vantagens a longo prazo desse novo hábito também são incríveis: começamos a descobrir pequenos talentos, pequenos prazeres, pequenas alegrias, todas as pequenezas que nos tornam únicas e grandiosas. Nós estamos sempre em movimento e sempre nos transformando. Por isso, quanto mais dermos atenção para aquilo que está dando certo, mais fácil será tomarmos decisões, escolhermos novos caminhos para as mulheres que estamos nos tornando e construindo eternamente, com tanta força, dedicação e amor. Assim, as chances de nos sentirmos cada vez mais completas se tornam maiores. Vamos celebrar todos os dias e juntas? O que nos espera nessa jornada é lindo demais.



últimos posts

como apoiar mulheres ativamente? | pantys
como apoiar mulheres ativamente?

Inspiradas pelo programa de doação Pantys, hoje vamos falar sobre como dar um passo mais largo e tirar a união e apoio feminino do discurso para ajudar mais mulheres a conquistarem esse empoderamento.

ler mais >
linguagem da ppk: deixa fluir | pantys
linguagem da ppk: deixa fluir

Fluídos rolam de dentro pra fora da gente o tempo todo contando sobre a nossa saúde e orquestrando o nosso equilíbrio. Vamos aprender a ler esses sinais e fazer as pazes com esse órgão tão sagrado?

ler mais >
aniversário pantys + programa de doação! uhul, o futuro para mais mulheres! | pantys
aniversário pantys + programa de doação! uhul, o futuro para mais mulheres!

Estamos completando 2 anos de novos ciclos juntinhos com vocês, e para celebrar lançamos o Programa de Doação Pantys que veio para levar o futuro para mais mulheres.

ler mais >

cool. absorbing. obvious.