os elementos da natureza e nossa saúde

os elementos da natureza e nossa saúde

calcinha-absorvente-pantys-elementos

Temos escutado muito por aí sobre a necessidade de cuidar do planeta, né? E aí fica parecendo que somos algo desconectado dessa natureza toda tão potente que há lá fora. Mais recentemente, uma verdade ancestral começou a ganhar notoriedade: na verdade, nossa saúde está intimamente ligada aos elementos naturais. Calma, a gente explica. Vem cá, amiga.

É só falar em elementos da natureza pra gente quase que imediatamente pensar em água, fogo, ar e terra. Além disso, também há uma simbologia mística que faz com que esses elementos sejam ligados a vários planos da existência humana. Nesse textinho, queremos trazer um outro ponto de vista: nossa saúde a dos elementos estão intimamente conectadas. Isso é bem claro quando a gente pensa, por exemplo, em nosso bem-estar pulmonar e na qualidade do ar da cidade em que vivemos. Se respiramos ar puro, todas as nossas células se beneficiam. E não é pouca coisa que respiramos por dia — são quase 11 mil litros de ar.

Com a água acontece o mesmo. É necessário que bebamos um líquido sem interferências químicas, límpido, puro, para que nosso corpo (que é composto de algo em torno de 70 e 75% de água) se reabasteça de vida.

Podemos pensar, nessa mesma narrativa, na potência que há no fogo. Ele é capaz de nos esquentar, alimentar, energizar. Quanto de benefício há naquela chama sem que, de fato, a valorizemos? Se não olharmos para esse mesmo fogo com respeito e reverência, há algo de nocivo que pode ser provocado por ele: as queimadas, por exemplo, prejudiciais ao nosso corpo e ao corpo da terra. É dessa terra, aliás, que retiramos boa parte dos nossos alimentos. E para que eles tenham a qualidade necessária para que o consumamos, água, ar e terra precisam estar saudáveis. Cuidar da terra é, portanto, cuidar do nosso próprio corpo. Se ela floresce, se ela nutre, se ela tem vida, provável que estejamos no mesmo ciclo de benesses.

Eis, então, uma mudança de olhar que podemos fazer, a partir de agora: a regra dos três na sobrevivência. Três minutos sem ar é o tempo médio que podemos aguentar sem respirar. Três dias é o tempo médio que conseguimos aguentar sem consumir água e três semanas é o tempo médio que aguentamos ficar sem alimentos.

Daqui pra frente, quando pensarmos na saúde do planeta, podemos nos implicar nesse sistema. Podemos entender que cuidar e preservar a saudabilidade dos elementos naturais nada mais é do que cuidar e preservar nossa própria saudabilidade.

Tudo está interligado. Você vê?



últimos posts

As três lições que aprendi buscando me tornar a protagonista da minha história | pantys
As três lições que aprendi buscando me tornar a protagonista da minha história

para ser protagonista da nossa história, precisamos ter consciência das nossas limitações, pois é assim que conseguiremos não nos deixar abalar pelas críticas vazias

ler mais >
sangue sagrado: uma história de autoconhecimento e reconhecimento de poder na Nigéria | pantys
sangue sagrado: uma história de autoconhecimento e reconhecimento de poder na Nigéria

num vilarejo no norte da Nigéria, meninas e mulheres têm encontrado uma poderosa ferramenta de autoconhecimento, poder e resistência contra o tabu da menstruação.

ler mais >
somos espelhos — e quem nos cerca tem um impacto gigantesco na nossa vida | pantys
somos espelhos — e quem nos cerca tem um impacto gigantesco na nossa vida

segundo o escritor americano Jim Rohn, somos a média das cinco pessoas com as quais passamos mais tempo. em outras palavras, o que ele quis dizer é que o meio no qual estamos inseridas influencia diretamente na pessoa que nos tornamos.

ler mais >

cool. absorbing. obvious.