Moda sustentável: é possível mesmo? Como mudar o jogo?

moda sustentável: é possível mesmo? como mudar o jogo?

Manchetes falando sobre mudanças climáticas e tragédias ambientais se tornaram tão comuns hoje em dia que é fácil se deixar levar pelo pensamento de que nós, cidadãs e cidadãos, não temos poder suficiente para impedir as forças da natureza. Contudo, percebe como essa conclusão é perigosa?

Afinal, são os seres humanos que provocam impactos negativos gigantescos no meio ambiente e, portanto, precisamos assumir a nossa responsabilidade para trabalhar pela recuperação da nossa casa, o planeta Terra. E pode apostar, lindeza, que a moda sustentável é o caminho que vai facilitar todo esse processo!

Como um dos setores industriais que mais poluem a natureza, a moda de rápida produção e consumo não se preocupa com os recursos ambientais afetados pelas etapas de produção e descarte. No caminho inverso, a moda sustentável levanta essas pautas para questionar e encontrar novos modelos de fabricação de roupas e acessórios que estejam em harmonia com a qualidade esperada sem causar danos ao planeta.

Ficou interessada em saber como a moda sustentável se tornou a nova tendência que promete revolucionar o mundo fashion e ainda reduzir os efeitos nocivos do consumo desenfreado? Continue a leitura, pois hoje o blog da Pantys está dedicado a sanar todas as suas dúvidas sobre o assunto! Preparada? ;)

o que é moda sustentável?

Se a conversa tem o intuito de repensar o modelo atual de produção de artigos de moda, é inevitável falar sobre moda sustentável ou eco fashion! Ambos os nomes se referem a métodos de sustentabilidade para fabricar roupas que atendem aos padrões de estilo e preservação ambiental ao mesmo tempo.

Um desafio complexo, mas não impossível de atingir, e que demanda uma análise detalhada de todas etapas que possibilitam a venda daquela roupa lindinha pela qual você se apaixonou na loja. Para a moda sustentável, esses processos precisam levar em consideração os aspectos sociais além da perspectiva econômica e ambiental pela qual o universo fashion se estrutura.

Isso significa que também importa saber quem produz e qual é a condição de trabalho proporcionada à pessoa que irá cortar, tingir, costurar e embalar a vestimenta. Todo um cenário que podemos compreender pelas seguintes dimensões:

1. escolher conscientemente as matérias-primas

Optar por tecidos sintéticos como nylon, poliéster e viscose é o mesmo que escolher as matérias-primas que mais poluem a Terra. Para o tratamento correto desse tipo de material, é necessário usar diversos produtos químicos que são tóxicos para plantas, animais e seres humanos.

Quando se utiliza tecidos eco-friendly, a perspectiva de reduzir o impacto ambiental melhora incrivelmente! Podemos enquadrar nesta classificação os tecidos naturais orgânicos - como algodão, lã e seda - que aplicam técnicas naturais para cuidar e obter a matéria-prima com a qualidade que a demanda pede.

As fibras de tecidos recicláveis também são exemplos de materiais frequentemente usados na moda sustentável, uma vez que a matéria-prima reutiliza um tecido que seria descartado cedo demais e dá um fim mais consciente para os resíduos que sobram nas fábricas de roupas e acessórios.

2. usar de modo eficiente os recursos hídricos

O volume de água que a indústria da moda utiliza para fabricar cada peça de roupa é de horrorizar qualquer um. Os bilhões de litros de água utilizados na lavagem, tingimento e acabamento das peças contaminam cursos d'água e todo o ecossistema que depende deles.

Por isso, adotar estratégias que diminuam o impacto ambiental é imprescindível neste momento! A alternativa de utilizar corantes naturais de origem vegetal é super válida e comum na prática da moda sustentável, por exemplo.

3. reduzir o desperdício

O cuidado na hora de cortar e costurar pode contribuir e muito para a produção de peças que se denominam sustentáveis. Com as tecnologias e inovações existentes atualmente, é possível prever e concretizar a diminuição de desperdícios de matérias-primas como o tecido durante o processo de corte e costura. E se pensarmos nas etapas anteriores, como o design das roupas, é mais válido investir em desenhos de vestimentas atemporais.

A princípio, parece contraditório, mas o lançamento de novas coleções não significa evitar o enfoque em peças que são fáceis de combinar e que podem ser usadas em várias situações antes de se considerar o descarte!

4. preferir a produção em pequena escala

Motivado principalmente pelo fast fashion (vamos comentar esse termo mais à frente, segura a ansiedade!), a produção de blusas, calçados e roupas íntimas em larga escala compromete o bem-estar dos profissionais que os produzem para cumprir a entrega em alto volume.

Outro fator que também é comprometido nesse processo é a qualidade do resultado final. Como consequência, a pessoa que comprou a peça recebe um produto que não é durável e irá se desgastar rapidamente, exigindo uma nova compra em pouquíssimo tempo!

por que aderir à moda sustentável?

Constatar que a indústria de roupas e acessórios é um dos nichos industriais que mais consomem os recursos da natureza para a manutenção das suas atividades já é um bom motivo para repensar o tipo de moda que consumimos, não é mesmo? Até porque a quantidade e a qualidade do ar, da água e do solo não se renovam na mesma velocidade que fabricamos os artigos de moda!

Ter esse tipo de informação é vital para que a sociedade desperte para a seriedade da situação e passe a exigir modos de produção amigáveis com o meio ambiente, mais opções de itens sustentáveis ofertados por preços acessíveis e aumento de pontos de descartes corretos na comunidade!

Grandes marcas como a H&M e Osklen já estão se apresentando no mercado com coleções feitas de materiais sustentáveis sem perder o estilo pela qual são reconhecidas! A Pantys também segue o caminho da inovação ao oferecer calcinhas absorventes fabricadas com tecidos orgânicos que respeitam o corpo que menstrua e se decompõe facilmente após cumprir com a necessidade higiênica!

Os benefícios de moda sustentável vão se concretizando cada vez mais conforme a consciência das pessoas mudam e o perfil de consumidor se renova para aceitar que os novos tempos exigem igualar as nossas prioridades com as da natureza.

slow fashion é um movimento de moda sustentável?

Com certeza, chuchu! O seu surgimento partiu da vontade de encarar de frente os problemas do fast fashion (moda rápida) e agir diferente para mudar o futuro preocupante que nos aguarda caso a destruição do meio ambiente continue do jeito que está.

Enquanto a moda rápida prega o lançamento de novas trends a cada semana por meio de roupas baratas, produzidas em péssimas condições de trabalho e com curto tempo de vida, a moda devagar (slow fashion) representou um pé no freio nesse consumo cego para criar possibilidades melhores no mundo das vestimentas.

O movimento de ascensão e queda das marcas de fast fashion mostra que a lógica usada na produção de artigos de moda está sofrendo mudanças! Agora, a preocupação não se restringe apenas ao lucro, mas se distribui para todas as áreas que compõem esse cenário de produção: os trabalhadores, o meio ambiente e os consumidores.

Se você também quer se tornar adepta ao movimento slow fashion e estimular a moda sustentável por meio de um consumo consciente, saiba que há diversos pontos sobre os quais é preciso pensar antes de efetivar a compra de uma nova peça de roupa - ou qualquer outro tipo de produto! Confira:

  • Mantenha seu guarda-roupas organizado, assim você tem mais noção das peças que possui;
  • Lave suas roupas apenas quando for necessário e atente-se ao nível de água selecionado na máquina de lavar;
  • Considere comprar roupas e acessórios em brechós e feiras de artesanato da sua cidade;
  • Dê preferência à peças atemporais, com tecidos orgânicos e duráveis;
  • Busque informações sobre a marca da roupa e qual é a política ambiental que ela adota na produção dos artigos;
  • Doe as roupas que ainda estão em bom estado, mas que você não deseja mais vestir;
  • Busque os locais corretos de descarte na sua comunidade.

O truque para evitar a produção que não respeita a sua saúde e a do meio ambiente está na criação do hábito de consumir sem pressa. Ou seja, aproveite o seu tempo e dinheiro para investir em marcas e produtos que se alinham com os valores sustentáveis que você acredita. Pesquise a fundo, reflita a necessidade da sua compra e valorize o que você veste hoje, afinal de contas, são essas mesmas peças que te ajudam a expressar sua personalidade para o mundo várias vezes!

Curtiu o post de hoje? Compartilhe conosco sobre a sua opinião sobre moda sustentável nos comentários, amamos conhecer melhor nossas leitoras e trocar ideias que podem mudar o mundo para melhor! Aproveitando o clima do nosso papo de hoje, não deixe de dar uma conferida no conteúdo "sustentabilidade x vida financeira: é mais caro optar por um estilo de vida consciente?".

Nos vemos por lá, hein lindeza! <3



últimos posts

mão segurando uma concha em forma de vulva
nidação: o que é e quais são os sintomas? fique por dentro do assunto com a pantys!

Você já se deparou com um corrimento marrom? Mas o que é isso? Se você quer saber um pouco mais sobre o assunto, hoje é o seu dia de sorte, viu? 
ler mais >
tipos de corrimento: saiba diferenciá-los durante o seu ciclo menstrual! | pantys
tipos de corrimento: saiba diferenciá-los durante o seu ciclo menstrual!

Muitas pessoas têm dúvidas sobre o que é corrimento vaginal, e não é para menos! Mas nós, da Pantys, estamos aqui para desconstruir tabus e abordar temáticas importantes, não é mesmo?
ler mais >
resolução de ano novo: comece o ano com metas alcançáveis! | pantys
resolução de ano novo: comece o ano com metas alcançáveis!

Você já deve ter reparado como a contagem regressiva para a chegada do próximo ano muda completamente os nossos dias de dezembro, não é mesmo? Para algumas de nós, a sensação de que o tempo está voando vem acompanhada de alívio pelo encerramento de um ciclo.
ler mais >

cool. absorbing. obvious.

estamos adicionando pantys na sacola...