como você nutre o seu útero?

como você nutre o seu útero? | pantys

“Minha TPM está tão forte esse mês”, “sangrei mais que o normal”, “estou com muita cólica.”

Sabia que as mudanças no nosso ciclo menstrual tem muito a ver com a nossa alimentação? Todo mês, nossa menstruação nos dá um retrato de como nutrimos nosso corpo, tanto emocional, quanto fisicamente.

Estamos acostumadas a buscar uma boa alimentação como forma de controle de peso, uma razão estética que é apenas uma expressão externa, mas e  dentro  da gente? A nutrição do nosso corpo afeta tudo, inclusive nosso amado útero, que não tem só função reprodutiva, mas armazena nossas energias criativas e regula nosso equilíbrio mensalmente. Hoje, vamos falar mais sobre essa conexão menstruação-alimentação para sermos um agente ativo do nosso bem-estar, florescendo o melhor de nós de dentro para fora e de fora para dentro.

Essa relação fica clara em casos extremos, como em distúrbios alimentares ou dietas muito restritivas, que levam mulheres a pararem de menstruar ou a ter um ciclo irregular, isso acontece porque o corpo não se sente forte o suficiente para ovular. E como nosso ciclo é regido por hormônios que regulam nossas emoções, essa alteração torna ainda mais importante e evidente. Está tudo ligadinho, nosso corpo é um verdadeiro mestre e nutrí-lo de forma consciente nos reconecta com nosso melhor!

Já falamos aqui nesse texto que quando colocamos uma coisa dentro da gente estamos, de certa forma, ingerindo uma parte do universo (afinal, a comida vem da terra), então é bom ficarmos atentas para conhecermos as energias que estamos escolhendo para nutrir esse lar tão sagrado que habitamos.

Vamos dar algumas dicas de alimentação que favorecem o equilíbrio do nosso ciclo menstrual, mas não deixe de consultar uma nutricionista, ela é a profissional indicada para te ajudar a encontrar o que é melhor pra você. E é sempre importante lembrar que as melhores escolhas não são aquelas baseadas apenas em nutrição, mas também que também leve em consideração o que é possível e acessível para você.

Aqui embaixo vamos explicar um pouquinho sobre quais alimentos podem nos ajudar ou que nos deixar mais sem energia em cada fase do ciclo, vamos aprender juntas?

fase 1 - menstruação (ferro)
Nessa fase, devido ao sangramento, nossos níveis de ferro tendem a estar mais baixos, então priorizar alimentos que repõem esse nutriente é uma ótima pedida, comolegumes e verduras escuros, feijões, semente de gergelim, damasco seco e grão de bico.

Um fator para ficarmos atentas nesse período é a queda dos níveis de serotonina, substância que atua diretamente sobre o humor, então pode surgir uma vontade de ingerir doces, já que o açúcar libera endorfina, uma outra substância produzida no organismo que transmite a sensação de bem estar. Porém, tanto o açúcar quanto a farinha branca, por possuírem alto nível glicêmico, podem nos deixam com mais indisposição e cansaço, e talvez não valha a pena esse desgaste por conta de uma alegria momentânea, né? Não que seja proibido, mas a moderação ajuda.

A dica aqui é dar a pausa que o corpo pedir sempre que possível, é normal as energias estarem mais baixinhas e podemos usar isso a nosso favor repensando sobre tudo que passou e que queremos deixar para trás, fazendo um balanço com os insights que surgem - e são muitos, é só se abrir que eles vêm.

fase 2 - folicular (vitamina B12)
Essa fase inicia-se logo após o final da menstruação, aqui já começamos a nos sentir mais fortes e dispostas, e com a liberação de estrógeno no corpo notamos uma maior disposição para exercícios físicos. Para termos energia para essa maior movimentação que o corpo nos pede, a ingestão de vitamina B12 é importante, a levedura é uma fonte incrível e super fácil de adotar, ela vem em pó e podemos adicionar nas frutas ou refeições.

Você acabou de começar um ciclo novinho em folha, é um bom momento para planejar como tirar do papel aqueles insights da fase 1, como viver melhor e em mais harmonia. Aqui você já começa a se sentir mais energizada, use essa força a seu favor.

fase 3 - ovulação (zinco)

Na ovulação, que acontece exatamente no meio do ciclo (de 12 a 16 dias depois do início do sangramento), ficamos cheinhas de energia e a libido está lá em cima, por isso, usar a alimentação a nosso favor significa não perdermos a potência desse verdadeiro auge que estamos vivendo aqui. A ingestão de zinco auxilia nas divisões celulares que produzem os óvulos e, mesmo que a mulher não esteja querendo engravidar, é importante que o ciclo de fertilidade seja sempre estimulado, afinal, é com a ovulação e menstruação que nós nos equilibramos em todos os sentidos (lembrando sempre que a função do nosso ciclo não é só reprodutiva, é como nosso corpo se renova e equilibra mensalmente). Alguns alimentos que contém zinco são: amêndoa, feijão de soja e semente de abóbora e de linhaça. Ah, o zinco também é um grande aliado no combate à acne.

Ah, e não se esqueça de aproveitar muito essa fase, é quando estamos mais propícias a sair, a sorrir, a viver coisas lindas, todos os hormônios estão contribuindo para esse pico de maravilhosidade e disposição! É a hora de botar a cara no sol.

fase 4 - TPM (fibras e complexo B)
Com o início da tensão pré-menstrual, é comum sentir cólicas, dores de cabeça, sensibilidade nos seios e uma fraquezinha, afinal, nosso corpo está se preparando para começar tudo de novo, mas quanto mais a gente nutre de forma respeitosa nosso corpo, mais conseguimos passar por essa fase sem grandes incômodos.

Neste período pode surgir uma ansiedade, desejo por carboidratos e por doce, e não tem problema saciar essa vontade, mas sempre com moderação pois o efeito pode ser contrário, piorando os sintomas. A dica aqui é investir nas fibras, como folhas, para ajudar o intestino a funcionar e na vitamina B para nos fortalecer e dar disposição. Evitar cafeína, álcool, carne vermelha e sal em excesso também ajudam muito para diminuir a retenção de líquidos e irritabilidade.

Além de tudo isso, acreditamos que a melhor maneira de controlar os sintomas da TPM é com o autoconhecimento, quando aprendemos sobre nos sentimos, conseguimos antecipar a chegada dos sintomas e planejar nossos dias com mais sabedoria, para que os sintomas não atrapalhem nossas tarefas do dia-a-dia e a gente viva essa fase com mais harmonia.

nutrição é reconexão
O caminho da consciência alimentar é um caminho de conexão com a gente mesma, o que importa é darmos pequenos passos, começando com a informação e compreensão do que está acontecendo dentro da gente, no nosso ciclo, sabendo que isso é influenciado pela nossa alimentação, para que possamos fazer escolhas de forma consciente. Quanto mais formos generosas com nosso corpo, mais ele será com a gente, e isso se reflete em emoções mais equilibradas e uma vida mais leve e feliz, com tudo fluindo direitinho, de dentro pra fora.

Vamos nos curar, nutrir nosso útero e escolher com carinho o que ingerimos, assim aproveitamos a potencialidade e o aprendizado de cada fase do nosso ciclo, conseguindo, cada dia mais um pouquinho, receber com naturalidade e amor cada momento, e cada aprendizado. Não há nada mais feminino que “nutrir”, o que a gente nutre, ganha vida e cresce!



últimos posts

vamos cuidar dos nossos corações? | pantys
vamos cuidar dos nossos corações?

“Tô na correria”. Amiga, já reparou o quanto a gente anda ansiosa? E, como a maioria das pessoas ao nosso redor está assim, nós estamos normalizamos isso. Vamos juntas, num movimento de resistência a esse ritmo que tem nos feito tão mal?

ler mais >
bell hooks e lélia gonzalez: ler é uma forma de agradecer! | pantys
bell hooks e lélia gonzalez: ler é uma forma de agradecer!

Final de ano é tempo de atualizar a leitura. Hoje apresentamos e recomendamos duas obras de escritoras potentes do feminismo que tem muito a nos ensinar.

ler mais >
liberdade: substantivo feminino | pantys
liberdade: substantivo feminino

O que é essa liberdade que tanto buscamos? Ou melhor, o que pode ser? Hoje vamos falar de liberdade, esse conceito tão importante e que nos move a ir cada vez mais longe.

ler mais >

cool. absorbing. obvious.