cheque especial com nossa mãe terra

cheque especial com nossa mãe terra

Hoje é o Dia Internacional da nossa amada Mãe Terra. Essa data existe para nos lembrar que precisamos agir a favor do nosso planeta, reduzindo impacto ambiental.  

Sabia que a cada ano entramos mais cedo no cheque especial ambiental? Cheque especial, mas como assim, pantys? A gente explica: quando acaba o dinheiro que temos no banco e a gente continua gastando, entramos no cheque especial. E é exatamente isso que acontece aqui, mas em vez de dinheiro, falamos sobre os recursos naturais em um nível maior do que a Terra consegue regenerar. Em 2019 esse ponto de esgotamento aconteceu em 29 de Julho. Na prática, isso quer dizer que dessa data, até o fim do ano, tudo o que foi utilizado não foi renovado. Sim, estamos em dívida e isso não deve nos paralisar, muito pelo contrário, isso deve ser um lembrete da importância de agirmos agora por um futuro.

Estamos consumindo mais recursos naturais do que o planeta é capaz de oferecer e repor de maneira orgânica. Foi no final da década de 70 que a empresa Global Footprint Network analisou a relação do nosso consumo de recursos. Acredita que nós estamos em débito desde aquela época? Quando as primeiras medições foram feitas, nós costumávamos chegar ao limite de utilização dos recursos naturais no começo de dezembro, em uma média feita entre todos os países. Mas, a cada ano que passa, nós atingimos esse ponto antes. Essa data média é chamada de Dia de sobrecarga da Terra. Depois disso, tudo o que é produzido entra no cheque especial. Bom, e como podemos mudar isso?

Um bom começo é pensar em uma produtividade e consumo linear, deixando para trás a ideia linear dessa cadeia produtiva. E o que isso significa na prática? Uma cadeia de produção e consumo linear é pensada para produzir sempre, utilizando novos recursos a cada etapa e esgotando de maneira rápida o que a Terra pode nos prover. A lógica desse modelo antigo funcionava assim: extrair, transformar, descartar. Enquanto isso, o modelo circular pensa nessa cadeia de produção funcionando como o próprio ciclo da natureza, onde nada se perde tudo se transforma.

Funcionando dessa maneira, todas as etapas da produção pensam em reutilizar os recursos já utilizados, ao invés de retirar coisas novas da natureza. Nessa nova lógica, todos levam em conta a importância das matérias-primas e resíduos. Tudo baseado na inteligência da nossa Mãe Terra, que já trabalhava dessa forma desde sempre.

Para entender melhor o quanto essa lógica de produção e consumo sem consciência pode afetar diretamente o nosso cotidiano, basta olhar para a janela nesses dias de quarentena. Notou o quanto o céu está mais azul e aberto? Percebeu o quanto o silêncio está maior e conseguimos até ouvir alguns passarinhos? A circulação de carros diminuiu e, com menos gente nas ruas, a produção e as vendas também. O planeta conseguiu respirar um pouco melhor. Infelizmente esse desafio que estamos enfrentando, nos alerta não só para a ação do vírus, mas para as nossas ações no mundo. Vamos ouvir esse chamado e usar esse período para se encontrar mais com o seu interior e refletir sobre como estamos vivenciando a nossa vida coletiva na Terra? Vai fazer muito bem para todos nós.

E como nós podemos ajudar de maneira prática nesse novo movimento?

São muitas alternativas disponíveis para agir e colocar o discurso em prática. Para começar, que tal dar uma olhada no guarda-roupas e nos produtos de limpeza? Muitas empresas produzem tudo com matéria-prima biodegradável, o que ajuda muito o planeta. Vale à pena pesquisar e escolher em quem vamos investir o nosso dinheiro, caso isso caiba na sua realidade financeira. Outra solução ótima e ainda mais prática é investir em roupas de brechó, assim você reutiliza e dá uma nova vida para peças que já foram produzidas, sem precisar gastar novos recursos do planeta.

Reduzir a nossa produção diária de lixo também é uma alternativa fácil que ajuda muito. Podemos entender de onde vem todo o lixo que produzimos, o que podemos reutilizar, que tipo de produtos podemos comprar para gastar menos embalagens? Vale lembrar que escolher uma pantys no lugar do absorvente também é uma ótima alternativa para diminuir a quantidade de lixo. Sabia que cada mulher gasta, em média, 180kg de absorventes ao longo da vida? É muita coisa.

Tudo isso faz parte de um movimento em comum, que nos lembra da importância de ter mais consciência e menos coisas. É aquela história: qualidade no lugar de quantidade. Contribuir com esse movimento de produção circular, renovação de recursos e diminuição de resíduos é um ótimo caminho para entendermos mais de perto o nosso impacto sobre a vida do planeta.

Mais do que enxergar a Terra como uma casa que devemos manter em funcionamento, é interessante entender o quanto somos parte integrada da natureza e do fluxo de vida do nosso planeta. Em tempo de isolamento, podemos repensar na nossa relação com os alimentos que compramos e consumimos, com o excesso de roupas e utensílios que temos em casa. Que tal consumir menos e reutilizar mais? Tudo faz parte do mesmo planeta e ecossistema e, quanto mais saudável para ele, melhor também para nós!

Todos os dias são dias da Terra, e é lindo acompanhar esse despertar coletivo, que começa a se fortalecer em vários cantos do mundo, não mais pelo futuro, mas pelo presente do nosso planeta. Vamos juntas nessa corrente do bem? Siim.



últimos posts

amiga, você conhece o afrofuturismo?

esse movimento estético, social e cultural tem o objetivo de retratar os dilemas negros e colocar em xeque eventos históricos relacionados ao racismo global.

ler mais >
aromaterapia e óleos essenciais: a cura vem da natureza

a aromaterapia utiliza óleos essenciais para tratar diversas questões relacionadas à saúde

ler mais >
a quantas anda nossa gratidão?

você sabia que a gratidão pode ser exercitada? sim! e hoje compartilhamos ideias super especiais de como fazer isso

ler mais >

cool. absorbing. obvious.