Mioma uterino: causas, sintomas e formas de tratamento | Pantys

mioma uterino é silencioso e muito comum: veja como identificar

O leiomioma, popularmente conhecido como mioma uterino ou fibroma, é um tumor benigno muito comum entre as mulheres. Em geral, ele aparece durante a idade reprodutiva, sendo mais comum na faixa etária dos 30 aos 50 anos. Na grande maioria dos casos, ele não demanda tratamento, apenas um acompanhamento médico.

Em primeiro lugar, precisamos entender o que é mioma uterino: um tumor sólido formado por tecido muscular e fibroso. Ele é proveniente de uma única célula que se divide rapidamente, criando uma massa distinta.

Por ser uma condição que acomete tantas mulheres, nós buscamos todas as informações sobre o assunto e preparamos um conteúdo super completo. Vem com a gente entender mais!

o que causa o mioma?

Afinal, o que causa mioma uterino? Essa é uma pergunta muito comum, já que mais de 50% das mulheres apresentam o tumor benigno. Entretanto, ainda não se conhece as causas exatas dele.

O mioma uterino é definido como um tumor hormônio-dependente, mas o estrogênio não é o único responsável pelo crescimento e desenvolvimento do mioma, a progesterona também faz parte desse processo.

Além disso, alguns fatores, como a vascularização da área em que o mioma se desenvolve também influenciam na formação dos tumores. As condições genéticas também fazem parte dessa equação, e mulheres negras costumam apresentar um número maior de casos de miomas e tumores maiores.

sintomas do mioma uterino

Os miomas costumam ser silenciosos, ou seja, assintomáticos. Por isso, é importante consultar-se com uma ginecologista com frequência e realizar exames de rotina, porque dessa forma será possível identificar o mioma no útero.

Apesar da maior parte dos casos serem assintomáticos, algumas mulheres apresentam sintomas de mioma uterino, confira os mais comuns:

  • fluxo intenso;
  • pressão pélvica;
  • aumento do volume abdominal;
  • cólicas;
  • dismenorreia;
  • períodos menstruais prolongados (sete dias ou mais);
  • dor durante as relações sexuais;
  • infertilidade;
  • sangramentos atípicos;
  • alteração na micção,
  • constipação intestinal.

conheça os tipos de mioma

Já sabemos o que é mioma no útero: um tumor benigno. Ele pode surgir de maneira individual, mas a maior parte dos casos são múltiplos, ou seja, com mais de um mioma. Entretanto, vale ressaltar que eles são independentes entre si: um pode estar em crescimento constante, o outro estabilizado e o terceiro reduzindo, por exemplo.

Além disso, os tumores podem surgir tanto dentro como fora do útero. A localização e o tamanho são fatores importantes que irão impactar as decisões médicas sobre como tratar o tumor. A seguir, confira cinco tipos de mioma uterino:

miomas subserosos

Os miomas subserosos localizam-se na parte externa do útero e costumam crescer para fora. Em geral, esse tipo de mioma não afeta o fluxo menstrual, mas pode exercer pressão em outros órgãos da pelve dependendo do seu tamanho.

miomas pediculados

Esse tipo de mioma está ligado à superfície uterina por meio de uma ponte fibromuscular, que também proporciona circulação sanguínea na região. Os miomas pediculados costumam ser assintomáticos, mas, com o crescimento, pode haver torção do pedículo, causando dores agudas.

miomas submucosos

Os miomas submucosos localizam-se na parte mais profunda do útero, embaixo da capa que reveste a cavidade uterina. Esse tipo de mioma é menos comum e provoca períodos menstruais prolongados e intensos.

miomas intramurais

Esse tipo de mioma cresce no interior da parede uterina. Com o tempo, a tendência é de que o tumor apresente expansão, aumentando o tamanho do útero. Os miomas intramurais são os mais comuns, podendo provocar fluxos menstruais intensos e dor pélvica.

miomas intracavitários

Os miomas intracavitários, como o próprio nome diz, localizam-se dentro da cavidade uterina. Em geral, esse tipo de mioma causa cólicas e sangramentos entre os períodos.

opções de tratamento

Não existem regras ou padrões quando falamos sobre miomas uterinos: eles podem aparecer em diferentes regiões e com diferentes tamanhos; podem crescer em alta velocidade ou permanecer estabilizados. Por isso, cada caso é um caso e precisa ser analisado por um profissional.

A ginecologista irá acompanhar o quadro e decidir se há necessidade de intervenção. Essas intervenções podem variar desde o controle com medicamentos hormonais até a retirada dos nódulos e, em alguns casos, do útero — um procedimento chamado histerectomia.

desmistificando o mioma

Existe um certo terrorismo em relação ao mioma uterino: muitas pessoas acreditam que a mulher portadora do tumor não poderá engravidar ou desenvolverá uma doença maligna.

Nesse sentido, é importante desmistificar a ideia de que não é possível engravidar. Afinal, o profissional poderá indicar intervenções para ajudar nesse processo. Além disso, vale ressaltar que, uma vez benigno, o tumor não se torna maligno com o passar do tempo.

Nossa conversa foi recheada de informações, né? Seguimos juntinhas em busca de conhecimento sobre nossos corpos e sobre saúde feminina <3

conteúdo revisado pela ginecologista:

Dra. Katia Moitta, CRM: 18521

Instagram: @drakatiamoitta

o nosso portal menstrual é totalmente focado em fins educacionais e não se destina à tomada de decisões médicas. qualquer dúvida específica sobre sua saúde, entre em contato com seu ginecologista ou médico para maiores esclarecimentos, ok?


cool. absorbing. obvious.

estamos adicionando pantys na sacola...