É normal sentir dor nos seios? Descubra aqui!

5 fatores que causam dor nos seios

Chamada clinicamente de mastalgia, a dor nos seios pode afetar mulheres de diversas idades e tem diferentes causas, como menstruação, gravidez, amamentação e nódulos, por exemplo.

Os casos mais leves podem durar de um a quatro dias e sensibilizar as duas mamas. Já os quadros considerados graves podem atingir também a região dos braços e axilas. Para facilitar a compreensão, nós da Pantys selecionamos as principais razões dos seios doloridos e seus respectivos tratamentos. Vamos conferir?

1. puberdade

No início da adolescência, mais precisamente entre os 10 e 14 anos, as meninas podem apresentar uma dor no seio moderada. Isso acontece porque as mamas estão começando a se desenvolver e o processo pode ser um pode ser um pouquinho desconfortável.

como tratar

Se for só uma dorzinha, não há tratamento a seguir. Entretanto, tomar banho morno e fazer compressas mornas nas mamas pode aliviar o incômodo. Além disso, nessa etapa, o ideal é que as garotas passem a usar sutiãs adequados para o tamanho dos seios, já que o acessório oferece sustentação e, consequentemente, mais conforto.

2. tpm ou período menstrual

Já sentiu um leve desconforto na mama pouco antes ou durante a menstruação? Caso dure de um a quatro dias, você não precisa se preocupar, ok? Trata-se de um aspecto suuuuper normal, capaz de afetar muitas mulheres e é uma das principais razões para a dor nos seios.

Isso acontece porque, durante esse período, o organismo feminino passa por uma série de alterações hormonais que levam à sensibilidade, inchaço e dor na mama direita, esquerda ou em ambas ao mesmo tempo.

como tratar

Caso o incômodo não te impeça de fazer as atividades do dia a dia, você não precisa tomar remédios, ok? Nesse caso, a compressa com água morna também é uma boa aposta. No entanto, se a dor nos seios incomoda muito, é importante procurar a orientação de um ginecologista, que pode receitar, entre outros medicamentos, a pílula anticoncepcional.

3. gestação

Durante a gravidez, principalmente no início e no final, as glândulas mamárias crescem e a produção de leite é mais intensa. A consequência são os seios inchados e doloridos.

como tratar

O desconforto nas mamas é um dos primeiros sinais da gravidez. Caso a gestação seja uma possibilidade para você, o melhor é realizar os testes de farmácia e de sangue.

Se o resultado for positivo, é importante investir em sutiãs maiores que garantam a devida sustentação às mamas. Além disso, a compressa com água morna continua sendo uma boa opção para aliviar a dor nos seios.

4. amamentação

A amamentação pode gerar diversos efeitos colaterais aos seios, como a dor e a sensação de rigidez devido a ingurgitamento, ou seja, o acúmulo de leite. Também é possível apresentar sensibilidade no bico da mama, um sinal de ducto entupido — impedindo a passagem do leite — ou mesmo rachadura local, que pode originar um quadro mais grave de infecção conhecido como mastite.

como tratar

Nesse caso, a ginecologista Marina Barcelos explica que “o melhor é esvaziar os seios amamentando em livre demanda, isto é, quando o bebê quiser mamar. Se preciso, também vale utilizar uma bombinha para a ordenha do leite caso a produção seja excessiva.”

5. cistos nos seios

Sem desespero, amiga! Claro que é importante descartar a hipótese do câncer, mas há outros tipos de cistos que não têm nada a ver com a doença. Funciona assim: eles podem se desenvolver em mulheres que possuem entre 15 e 60 anos e são divididos, basicamente, em dois grupos: espesso e sólido.

Enquanto o líquido tem um conteúdo semelhante à gelatina e não oferece graves riscos à saúde, o sólido é formado por uma massa dura e demanda avaliação por meio de uma biópsia. Entre os sintomas de ambos os tipos de cisto, podem estar presentes leves fisgadas nas mamas, aumento dos seios e coceira.

como tratar

Caso você apresente esses sintomas, é imprescindível procurar ajuda profissional. “Para que tem menos de 40 anos, pode ser indicada a realização do ultrassom das mamas e, para quem tem mais de 40, a mamografia pode ser a melhor avaliação, seguida de uma biópsia”, comenta Barcelos.

Além disso, a campanha Outubro Rosa não é novidade para você, certo? Não à toa, realizar o autoexame é fundamental e trata-se de uma maneira de prevenir problemas maiores, já que podem ser descobertos cedo.

Sendo assim, nada de adiar os problemas com a barriga, afinal, com saúde não se brinca! Sempre que possível, faça uma consulta ao médico, além do autoexame por meio de toque nas mamas, combinado? <3


conteúdo revisado pela ginecologista:

Dra. Marina Barcelos, CRM: 151749

Instagram: @dramarinabarcelos

o nosso portal menstrual é totalmente focado em fins educacionais e não se destina à tomada de decisões médicas. qualquer dúvida específica sobre sua saúde, entre em contato com seu ginecologista ou médico para maiores esclarecimentos, ok?



cool. absorbing. obvious.