Odor vaginal: veja quando é um sinal de alerta | Pantys

Odor vaginal é normal? Vamos entender isso juntas

Nosso corpo se comunica constantemente, basta estar atenta aos sinais. Hoje a gente tem uma conversa super importante sobre odor vaginal. Todas nós temos um cheirinho único, que é natural do organismo.

Porém, a gente sabe que o assunto ainda é um tabu na sociedade e, infelizmente, existem comentários maldosos sobre o cheiro forte na vagina. Se conhecer é a melhor maneira para se libertar de algumas ideias ultrapassadas. Vamos entender juntinhas sobre o nosso cheirinho e o que ele pode significar? <3

vamos deixar claro: ter odor é natural

Sim, é isso mesmo que você leu, é normal ter odor vaginal. Ufa! Agora a gente pode falar mais abertamente sobre isso sem nenhuma vergonha. Bom, a nossa vagina é um órgão de pH ácido, mas o nosso corpo é tão perfeitinho que consegue fazer o controle dessa acidez naturalmente.

Os lactobacilos que vivem nessa região são fundamentais para isso, e eles também ajudam a proteger de infecções. A nossa vagina tem um processo de renovação celular que resulta na eliminação de secreções e odores. O odor na vagina costuma ser suave e é um sinal de que tudo está funcionando normalmente.

Esse cheirinho pode mudar ao longo do ciclo menstrual. No período de ovulação, por exemplo, o nosso corpo produz mais feromônio, um hormônio sexual. O resultado disso é um odor vaginal mais forte e afrodisíaco. Então, vamos praticar o autoconhecimento? Fique mais atenta aos seus cheiros e como eles mudam ao longo do mês <3

um cheiro muito forte pode ser sinal de alerta

Conhecendo nosso cheirinho fica mais fácil perceber quando algo pode estar errado. Como falamos, ter odor é natural, mas se há mau cheiro na vagina pode ser um sinal de infecção.

Em muitos casos, as infecções são acompanhadas de corrimento vaginal. Esse é outro processo natural do corpo, mas o corrimento com mau cheiro pode apontar para um possível desequilíbrio na região e merece atenção.

A candidíase é uma infecção muito comum, mas ela não costuma apresentar odores. Sintomas como cheiro estranho na vagina, coceira, ardência e dores nas relações sexuais podem indicar tricomoníase e vaginose bacteriana. Veja as características de cada uma.

  • Tricomoníase: infecção causada pelo parasita Trichomonas vaginalis. Suas características comuns são a presença de corrimento amarelo-esverdeado e de cheiro forte;
  • Vaginose bacteriana: infecção causada pela bactéria Gardnerella sp. É comum o aparecimento de corrimento amarelo ou acinzentado e de cheiro forte e desagradável;

Em casos mais graves, as mudanças de odor podem ser sinal de infecção no útero. Por isso, marque uma consulta com aquela ginecologista super parceira e conte as mudanças que você observou, ela irá fazer um diagnóstico da situação.

Vale lembrar: estar atenta aos sinais do corpo é uma atitude de autocuidado <3

higiene correta na vulva é fundamental

Diversos produtos estão disponíveis no mercado e prometem melhorar o cheiro vaginal, mas a verdade é que não há nada para melhorar, já que ele é natural. Sabonetes íntimos são os mais comuns, mas há quem passe perfume na vulva!

Fazer uma higiene íntima correta deve ser rotina em nossas vidas e não há necessidade de produtos milagrosos. A nossa vagina faz o próprio controle de sua acidez, então não precisa passar sabonete lá, hein?! A limpeza deve ser focada na vulva e sabonetes neutros são a melhor opção.

Basta usá-lo e enxaguar com água em abundância. O excesso de química presente em alguns produtos pode agredir a mucosa vaginal, causando alergias e desencadeando processos inflamatórios.

Ah, vale lembrar que o excesso de higiene pode piorar o odor vaginal, pois tira a proteção natural. Então, não tem muito segredo: o sabonete neutro é o nosso melhor amigo, e a higienização deve ser feita uma vez por dia durante o banho.

odor vaginal nem sempre é questão de higiene

Nem sempre o cheiro na vagina se intensifica por causa de uma questão biológica. Alguns fatores externos podem deixar o nosso cheirinho mais forte que o normal:

  • Ficar muito tempo sem trocar a calcinha;
  • Utilizar roupas apertadas;
  • Ficar com roupas úmidas por tempo prolongado;
  • Ingerir determinados alimentos;
  • Utilizar alguns medicamentos,
  • Usar protetor diário.

Além disso, algumas mulheres têm alto nível de transpiração. Em casos como esse é importante trocar a peça íntima com mais frequência. Outro fator que deve ser levado em consideração são dobras de pele que podem acumular secreção. É indicado manter a região limpa e seca para evitar um odor forte.

autoconhecimento é autocuidado

A grande lição que podemos aprender com tudo isso é que o autoconhecimento é uma forma de autocuidado. Quando a gente sabe nossos cheiros, corrimentos e emoções conseguimos perceber com mais facilidade os sinais do nosso corpo dizendo que algo não está em equilíbrio.

Odor vaginal não é motivo de vergonha e a gente não precisa tentar amenizá-lo, tá bom? Apenas precisamos ficar atentas em casos de mudanças, pois isso pode significar algo para a nossa saúde. A pantys está aqui para embarcar nessa jornada de conhecimento e amor com o corpo feminino. Vamos juntinhas? <3


conteúdo revisado pela ginecologista:

 Dra. Natasha Marques Talalayv, CRM MG: 63108

instagram: @dra.natashatalalayv

o nosso portal menstrual é totalmente focado em fins educacionais e não se destina à tomada de decisões médicas. qualquer dúvida específica sobre sua saúde, entre em contato com seu ginecologista ou médico para maiores esclarecimentos, ok?



cool. absorbing. obvious.