frete grátis acima de R$200 \o/

0

sua sacola está pelada

tudo o que você precisa saber sobre a síndrome do ovário policístico

Nosso corpo é nosso templo; nossa casa. Então, temos que cuidar muito bem dele. É justamente por isso que estamos aqui: para te ajudar a ter mais conhecimento sobre uma doença suuuper comum entre nós, mulheres: a síndrome do ovário policístico.

A gente sempre está pensando na saúde feminina, afinal, unidas somos mais fortes. Como ser informada é se tornar cada vez mais poderosa, vamos juntas descobrir o que é a síndrome do ovário policístico, e os sintomas e cuidados que precisamos ter para tratá-lo. Vem com a gente!

o que é essa tal de SOP

Mas, afinal, o que é ovário policístico? Bom, a síndrome do ovário policístico (SOP) é bastante comum entre nós, mulheres, e acontece quando nossos hormônios estão desequilibrados.

Nada mais é do que uma doença que atinge o sistema endócrino — aquele conjunto de glândulas que produzem os hormônios responsáveis pelas nossas funções reprodutivas, sexuais, níveis de estresse e muitas outras.

Antes de tudo, você sabe o que são cistos? São apenas folículos de tecidos durinhos, pequenas bolinhas. Quando a gente produz um alto nível do hormônio andrógeno, essas bolinhas ficam todas amontoadas e presas na nossa região reprodutora. A SOP é exatamente isso, só que com cistos maiores e em grande quantidade.

Quando o corpo começa produzir muito desses hormônios masculinos, eles acabam impedindo a formação de óvulos saudáveis, prejudicando o ciclo menstrual. Isso pode causar infertilidade e até câncer do endométrio (na parte interna do útero).

vem descobrir a raiz do problema!

Os cientistas ainda não identificaram as causas concretas dos ovários policísticos. Mas ainda bem que esses profissionais são bem curiosos, porque depois de muitas pesquisas, alguns fatores passaram a ser considerados para a causa dessa.

Até agora, a ciência aponta para os fatores genéticos como os mais responsáveis pela síndrome. Isso quer dizer que se sua mãe ou irmã possuem a síndrome, as chances de você também ter são grandes.

Além disso, a grande quantidade de testosterona (hormônio masculino) é algo comum entre mulheres que tem SOP. Assim como a resistência à insulina, que é quando a gente produz insulina, mas nosso corpo resistente à sua ação, alterando a quantidade de glicose no sangue.

A taxa de glicose no sangue é importante, pois nossos ovários coletam insulina nas células, e são eles que produzem a testosterona. Ou seja, se recebemos muita insulina, consequentemente teremos um alto nível de testosterona.

Esse quadro é o que acaba gerando a anovulação. Isso acontece quando os ovócitos — nossas células sexuais produzidas pelo ovário — não ficam maduros o suficiente para a ovulação e, em vez de saírem nos ovários, se transformam em cistos que causam a SOP.

quem tem ovário policístico sente o quê?

É muito importante ficar bem atenta aos sinais que podem indicar se você tem a síndrome do ovário policístico. Então, confira a listinha de sintomas que fizemos para te ajudar, afinal, estamos sempre unidas.

  • Ciclos menstruais irregulares;

  • Menstruação com fluxo muito intenso ou pouco fluxo;

  • Pelos novos ou em excesso;

  • Cabelo ralo;

  • Pele oleosa e muitas espinhas;

  • Resistência à insulina;

  • Ganho de peso, principalmente em volta do abdômen;

  • Dificuldade para engravidar,

  • Depressão e ansiedade.

Fique atenta: todos os sintomas do ovário policístico podem ficar mais intensos conforme o tempo for passando ou se você é obesa.

Além disso, respondendo à dúvida de muitas sobre se ovário policístico engorda, a gente diz a verdade: a doença pode, sim, causar a impressão de que o tronco e abdômen engordaram mais que outros membros do seu corpo.

como a SOP pode afetar a gente, mulheres fortes

Como falamos mais acima, a síndrome do ovário policístico aparece no formato de menstruação irregular, cistos nos ovários e altos níveis do hormônio andrógeno que, por ter testosterona, acaba causando excesso de pelos, humor instável e acne.

Infelizmente, é uma doença crônica, ou seja, ainda não tem cura. Mas ela pode ser controlada para você viver melhor. É bom a gente falar que mulheres que desejam ter filhos devem tratar o problema com o apoio de uma ginecologista, pois a SOP dificulta as chances de engravidar.

Por fim, é importante lembrar que níveis altos do hormônio estrogênio ao longo do tempo aumentam o risco de câncer endometrial. Além disso, níveis altos de androgênios podem aumentar as chances de desenvolvermos doenças no coração.

o diagnóstico e o tratamento para SOP

De 20% a 30% das mulheres podem desenvolver cistos nos ovários, mas eles geralmente não causam nenhum malefício. No entanto, em 10% por casos, a presença deles pode ser sintoma de algumas doenças, como a SOP.

Ao visitar sua ginecologista, ela vai avaliar o seu histórico médico e solicitar exames para medir os níveis de testosterona, TSH (hormônio tireoestimulante), FSH (hormônio foliculotrófico) e prolactina, assim como o ultrassom da pélvis. Caso sejam detectados dois dos quadros abaixo, o diagnóstico é confirmado. São eles:

  • Disfunção ovulatória (a que causa a menstrual irregular);

  • Evidência clínica ou laboratorial de hiperandrogenismo,

  • Mais de 10 folículos por ovário, parecidos com um colar de pérolas.

Como falamos acima, a síndrome dos ovários policísticos é uma doença crônica, então não tem cura. Por isso, seu tratamento foca exclusivamente nos sintomas.

Os cuidados consistem no uso de contraceptivos hormonais para ajudar na regulação menstrual, diminuição da acne, hirsutismo (grande quantidade de pelos), diminuição do risco de câncer endometrial e redução dos androgênios.

Para a resistência à insulina, o médico também pode recomendar medicamentos que aumentam a sensibilidade ao hormônio, assim como sugerir uma mudança no seu estilo de vida.

Se o médico, ou médica, achar necessário, serão solicitados exames para diabetes e também para verificar se os cistos não deram início a um quadro de câncer.

vamos nos cuidar juntinhas?

Para prevenir essa doença, é recomendado que você coma comidinhas saudáveis e faça exercícios físicos. Isso porque as poderosas que estão obesas podem vir a desenvolver glicemia, uma alta taxa de colesterol ruim e pressão alta, quadros que levam à SOP.

Você costuma fazer consultas regulares à ginecologista? A gente espera que sim, afinal, o primeiro passo para mantermos nossa força mental e espiritual é estar com a saúde física em dia.

A síndrome do ovário policístico pode trazer probleminhas à sua saúde ginecológica, portanto, cuide-se bem! Vamos juntas nessa jornada do autocuidado? <3


conteúdo revisado pela ginecologista:

 Dra. Debora Tonetti. CRM: 167 355

instagram: @dradebora.tonetti

o nosso portal menstrual é totalmente focado em fins educacionais e não se destina à tomada de decisões médicas. qualquer dúvida específica sobre sua saúde, entre em contato com seu ginecologista ou médico para maiores esclarecimentos, ok?



cool. absorbing. obvious.