Ejaculção feminina: menos tabu e mais informação | Pantys

ejaculação feminina: menos tabu e mais informação

Rodeada de tabus, mitos e preconceito, a ejaculação feminina é um tema historicamente pouco explorado. Não à toa, as dúvidas sobre o assunto contornam, até mesmo, a comunidade científica, que não apresenta muitas afirmações conclusivas sobre a discussão.

Você já deve ter ouvido falar de pesquisas que apontam a baixíssima porcentagem de mulheres que alcançam o orgasmo. Além dele, tem o squirting feminino. Há meninas que nunca ouviram falar, outras até sabem, mais ou menos, do que se trata, mas nunca tiveram a experiência.

Também existem as mulheres que já experimentaram a sensação, mas não conseguem definir ou entender muito bem o que é de fato. Para contribuir com essa pauta, que gera taaantas dúvidas, a equipe pantys foi descobrir quais são os tipos de ejaculação feminina. Vamos juntas entender mais sobre o nosso corpo? Vem com a gente <3

o que é squirting feminino?

Nos últimos anos, o squirting tem despertado curiosidade e ganhado mais atenção. A palavra “squirting” vem de “squirt”, que significa “esguichar”. Ele acontece quando a mulher ejacula um líquido sem cor e sem cheiro, em grandes quantidades durante o contato sexual.

será que é xixi?

Aí está a grande dúvida de muuuitas pessoas: afinal de contas, o que é ejaculação feminina? Que líquido é aquele? Será que é xixi? O ato de esguichar pode ser considerado um orgasmo?

Vamos lá, amiga! Não, o fluido expelido durante o squirting não é xixi. No entanto, há pesquisas que apontam a presença de pouquinho de urina diluída nesse tipo de ejaculação feminina.

Isso acontece porque o líquido é produzido lá nas glândulas de Skene, que estão localizadas bem perto da bexiga e, por sua vez, acaba sendo estimulada por tabela. Sendo assim, é possível liberar um pouquinho de xixi, sim, tá?

O squirting pode ser considerado um tipo de ejaculação feminina, mas não é necessariamente um orgasmo e nem é preciso colocá-lo como um objetivo, já que isso pode gerar uma pressão completamente desnecessária. Tem mais: ele não pode ser encarado como um termômetro de prazer, combinado?

As pesquisas sobre o assunto ainda não são suficientes para responder todas as perguntas, mas há indícios de que o squirt feminino possa ocorrer antes ou no mesmo momento do orgasmo, quando chegamos ao ápice da excitação. Além da libido elevada, é possível sentir um pouco de vontade de fazer xixi na hora da ejaculação.

e o orgasmo?

O corpo feminino possui diferentes zonas erógenas e, quando estimuladas, podem responder de maneiras bem diferentes, que vão muito além do squirting. O orgasmo feminino é o ápice da excitação durante a relação sexual. Além de provocar uma enorme sensação de prazer e relaxamento, ele proporciona benefícios físicos e emocionais.

Não à toa, quando a mulher goza, sai líquido ou não, tá? O ato de expelir um fluido não pode ser visto como uma regra. O apetite sexual é estimulado quando a mulher se sente à vontade fisicamente e, claro, emocionalmente. Assim, as maneiras de manifestá-lo são diversas!

Quando o assunto gira em torno do orgasmo feminino, especificamente, podemos citar os dois tipos mais comuns: o clitoriano e o vaginal. Entretanto, essa manifestação de prazer não para por aí, já que ela pode ir além dos órgãos genitais.

1 - orgasmo clitoriano

Como o próprio nome sugere, o orgasmo clitoriano se dá na região do clitóris, um pequeno órgão erétil e cilíndrico que fica na parte interior da vulva, acima do orifício da uretra.

2 - orgasmo vaginal

Esse tipo de orgasmo é mais comum quando ocorre a penetração na vagina. No entanto, ele pode ser vaginal e clitoriano ao mesmo tempo, já que o clitóris também possui uma estrutura interna que pode ser estimulada com a penetração.

3 - ponto g e ponto u

O ponto G é uma região interna da vagina que fica mais escondidinha, só “aparecendo” com estímulos sexuais e excitação. Esse tipo de orgasmo é mais comum com penetração.

Já o orgasmo ponto U é aquele que se dá na uretra, o orifício por onde passa o xixi, que fica entre o clitóris e a vagina. Por ser uma área bem sensível, o orgasmo pode ser atendido com a estimulação de dedos ou língua.

4 - orgasmo anal

Se a questão da ejaculação feminina ainda é um tabu, o orgasmo anal feminino é quase um tabu ao quadrado! Basicamente, ele acontece com a estimulação do ânus, com ou sem penetração, mas é importante ir com bastante calma e paciência, tá ;)

É, amiga, o prazer feminino pode parecer um pouco complexo. Não à toa, muitos se perguntam se a ejaculação feminina existe mesmo. Mas essa falta de informação não é mera falta de conhecimento, ela é fruto de uma cultura machista, preconceituosa e retrógrada.

Por isso, a sua viagem rumo ao autoconhecimento pode (e deve) passar pelo caminho do prazer. É assim que você descobre o que mexe com a sua libido, seja de maneira positiva ou negativa.

E vale ter em mente que essa missão é sua e não pode ser terceirizada ao seu parceiro ou parceira, tá? O autoconhecimento anda de mãos dadas com o empoderamento. Se joga, amiga! <3


conteúdo revisado pela ginecologista:

Dra. Mirian Marcorri, CRM: 76421

instagram: @clin_climed

o nosso portal menstrual é totalmente focado em fins educacionais e não se destina à tomada de decisões médicas. qualquer dúvida específica sobre sua saúde, entre em contato com seu ginecologista ou médico para maiores esclarecimentos, ok?



cool. absorbing. obvious.