frete grátis acima de R$200 \o/

0

sua sacola está pelada

do período fértil aos fatores de risco: saiba mais sobre a fertilidade feminina

A fertilidade é um assunto de altíssima importância para várias mulheres — e homens também —, principalmente quando bate a vontade de aumentar a quantidade de integrantes da família. Mas, antes de mais nada, é importante ressaltar que se trata de um processo biológico e que nem sempre teremos total controle sobre ele.

A boa notícia é que alguns fatores e hábitos podem aumentar o nível de fertilidade e ajudar a engravidar. Pensando nisso, nós, aqui da pantys, procuramos e descobrimos o que pode contribuir e o que pode te atrapalhar na hora de aumentar a família. Vamos descobrir juntas?

período fértil: saiba como identificá-lo e aproveitá-lo

Se o objetivo é ter um bebê, então, você já sabe que aproveitar o período fértil pode ser uma boa, né? Por isso, o objetivo aqui é te ajudar a descobrir quando ocorre o seu. Vamos lá?

O período fértil da mulher acontece entre a fase folicular e a fase lútea, que compõem o que chamamos de ciclo menstrual. O primeiro passo para descobrir a sua janela fértil é descobrindo quanto tempo dura o seu ciclo. Os ciclos, de uma maneira geral, podem variar de 21 a 35 dias. Para que o cálculo aconteça de forma mais efetiva, o ideal é que seu ciclo seja de 26-32 dias. Vale ressaltar que os de 28 dias são os mais comuns.

Você deve estar se perguntando: “tá, mas como descobrir a duração do meu ciclo menstrual?”. Sem preocupação, é super fácil! Basta marcar o dia em que a sua próxima menstruação começará e o dia em que o sangramento terá início no mês seguinte. Feito isso, você provavelmente terá um resultado entre 26-32 dias. Já para calcular o período fértil:

É válido registrar que a duração do seu ciclo menstrual por pelo menos seis meses. A partir daí, deve-se subtrair o ciclo mais longo do ciclo mais curto. Se a diferença for maior que 10, o método não deve ser usado para prevenir gestação. Mas, supondo que a “conta” deu menor que 10, como podemos calcular o período fértil?

Nesse caso, basta subtrair 18 do ciclo mais curto (início do período fértil) e 11 do ciclo mais longo (término do período fértil). E para saber o dia da ovulação, é só subtrair 14 dos dias do seu ciclo.

a idade nem sempre é um empecilho definitivo

É bem provável que sua mãe e sua avó tenham tido filhos quando eram mais jovens que você e isso tem um porquê. Com o avanço de nós mulheres no mercado de trabalho, é suuuper normal adiar os planos da maternidade, o que faz com que muitas mulheres tenham filhos em um período de maior estabilidade profissional e financeira, que pode ocorrer por volta dos 30 anos ou mais.

Enquanto isso, porém, os óvulos vão perdendo sua “qualidade” e, consequentemente, o nível de fertilidade vai sendo colocado em jogo. Isso quer dizer que depois dos 35 anos você não poderá ter filhos? Nada disso! Além de tentar naturalmente mesmo após certa idade, também é possível apostar nas técnicas de congelamento de óvulos, que podem viabilizar a sua gestação.

No mais, é importante ter em mente que não é necessário abandonar a carreira profissional para ser mãe ou vice-versa. Se este é o seu dilema hoje, procure conversar com um especialista e também com seu parceiro. Por meio do diálogo e de uma opinião profissional, é bem provável que você consiga escolher o melhor caminho ;)

a prática esportiva regular pode fazer diferença

A prática esportiva moderada gera uma série de benefícios para o corpo, para a mente e também para a fertilidade! Isso acontece porque os exercícios físicos melhoram a circulação sanguínea e a oxigenação das células, fatores que favorecem a qualidade dos óvulos.

Mas nada de exagerar na academia, combinado? Algumas mulheres com baixo teor de gordura corporal podem ter problemas na hora de ovular, impossibilitando, assim, a formação de uma gravidez.

fatores que podem comprometer seu nível de fertilidade

Para as mulheres, algumas complicações de saúde comprometem direta ou indiretamente a fertilidade, como a endometriose, por exemplo, que pode afetar as tubas uterinas e impedir a fecundação. Separamos alguns outros fatores abaixo, olha só:

  • Inflamação da pelve: as infecções bacterianas, como a clamídia, são capazes de comprometer os órgãos reprodutivos;
  • Problemas para ovular: distúrbios hormonais e o estilo de vida podem explicar o desequilíbrio;
  • Consumo excessivo de álcool: pode elevar a taxa de infertilidade em mulheres e homens;
  • Obesidade: prejudica a qualidade do sêmen e do óvulo, dificultando a chance de uma gestação em cerca de 30%,
  • Café e energéticos: também são capazes de aumentar a infertilidade a longo prazo.

O autoconhecimento é suuuper importante para todas nós e evita uma série de problemas de saúde, sejam eles físicos ou mentais. E você sabe que, nesse caso, super pode contar com a gente, né? Porém, não podemos deixar de ressaltar que um bate-papo com o seu ginecologista é mais que fundamental. Por isso, faça consultas regularmente. Vamos juntinhas nessa jornada de autoconhecimento? Até a próxima <3


conteúdo revisado pela ginecologista:

Dra. Laura Bernardes. CRM: 166 087

Instagram: @dralaurabernardes

o nosso portal menstrual é totalmente focado em fins educacionais e não se destina à tomada de decisões médicas. qualquer dúvida específica sobre sua saúde, entre em contato com seu ginecologista ou médico para maiores esclarecimentos, ok?



cool. absorbing. obvious.