ei, amiga, vamos falar sobre o que estamos compartilhando por aí?

ei, amiga, vamos falar sobre o que estamos compartilhando por aí?

Vem cá, fala sério: você toma cuidado com o conteúdo que joga no mundo? Pode até parecer bobagem parar pra refletir sobre coisa que a gente faz de forma tão automática, mas pensa com a gente: se cada uma de nós fosse um pouquinho mais responsável com o que posta e compartilha, talvez a gente tivesse redes sociais com mais significado, né?

Pareceu confuso? A gente explica. Com a pandemia global e com o digital ganhando ainda mais importância nesses dias de isolamento físico, muita gente começou a defender a necessidade de só seguirmos influenciadoras e influenciadores que, de fato, contribuíssem positivamente pro nosso cotidiano. Muita gente começou uma verdadeira limpa nas redes e parou de seguir perfis que davam os famosos gatilhos. É aí que entra nosso convite à reflexão: pode até ser que a gente não tenha milhares de seguidores, mas nem por isso deixamos de influenciar nossa rede. E se a gente tem essa influência, precisamos ter, também, cuidado sobre ela, sabe?

Uma pergunta simples, mas muito útil, pode ser parar uns segundinhos antes de dar aquele publicar e se perguntar: por que estou postando isso? Qual a minha intenção? O que me motiva? Pode ser um conteúdo delicado para alguém? Posso estar sendo preconceituosa? Cometendo algum tipo de injustiça? Julgando alguém sem avaliar de forma mais aprofundada? São questionamentos que, se aplicados, já evitam um punhado de publicações que podem vir a se tornar negativas.

Agora, por falar em compartilhamento, tem outro ponto que a gente gostaria de levantar sobre esse assunto e que também é bem importante — ainda mais no contexto sociopolítico em que estamos vivendo. Isso mesmo: as tão faladas fake news. No automático, a gente pode estar ajudando toda uma cadeia de notícias falsas com aquela notícia que enviamos no WhatsApp ou com aquele link que postamos nas redes sociais. Bora falar sobre isso também?

seu share tem ajudado a espalhar fake news?

A gente sabe: às vezes, na correria do dia a dia, não sobra tempo pra dar aquela checada na fonte. Mas a preocupação com o que endossamos a cada share é real. Já em 2017, as Nações Unidas apontava uma crescente preocupação com o aumento de fake news e da dificuldade em discernir se as informações eram verídicas ou falsas. Num fórum realizado pela ONU, debateu-se, inclusive, caminhos possíveis para levar às pessoas ferramentas que pudessem ajudar a checar a credibilidade do que estava sendo dito.

Pra ajudá-la por aí a transformar esse cuidado em um hábito, temos algumas dicas práticas, olha só:

_ tá em dúvida? melhor não compartilhar

Se você não sabe se a informação é realmente verdadeira, talvez faça mais sentido esperar um pouquinho pra ver seus desdobramentos. Mesmo que a tentação seja grande, segure esse enter :)

_ verdadeiro ou falso?

Existem diversos sites que checam a notícia pra você. Agência Lupa, Fake Check e Truco, da Agência Pública, são alguns deles. Hesitou? Corre pra lá.

_ de olho no crédito

A imagem não tem crédito de fotógrafa ou fotógrafo nem define sua origem? Sinal de alerta. Talvez seja uma imagem manipulada ou retirada de contexto.

_ mea culpa

Atire a primeira pedra quem nunca errou, né? Nesse marzão de informação cotidiana, todo mundo pode acabar, sem querer, passando pra frente uma inverdade. Então, se isso acontecer com você, aposte na transparência e na correção da informação. Assim, quem foi impactada pelo seu compartilhamento saberá que da natureza pouco verídica daquele conteúdo também.

Ações pequenas, mas que podem fazer uma grande diferença, né? Se você tiver outros métodos que ajudam a dar esse pause reflexivo na hora de compartilhar ou publicar algo nas redes, conta pra gente aqui nos comentários? Assim, um pouquinho por dia, a gente vai construindo uma rede mais parecida com aquilo que a gente acredita <3



últimos posts

amiga, você conhece o afrofuturismo?

esse movimento estético, social e cultural tem o objetivo de retratar os dilemas negros e colocar em xeque eventos históricos relacionados ao racismo global.

ler mais >
aromaterapia e óleos essenciais: a cura vem da natureza

a aromaterapia utiliza óleos essenciais para tratar diversas questões relacionadas à saúde

ler mais >
a quantas anda nossa gratidão?

você sabia que a gratidão pode ser exercitada? sim! e hoje compartilhamos ideias super especiais de como fazer isso

ler mais >

cool. absorbing. obvious.